Corpo de bebê que morreu após engasgar com maçã em Petrópolis será exumado

A polícia vai exumar o corpo da bebê Maria Thereza Vitorino Ribeiro, de 1 ano, que morreu após engasgar com uma fatia de maçã no Centro de Educação Infantil Carolina Amorim, no bairro Cascatinha, na cidade de Petrópolis, Região Serrana do Rio, onde estudava. A decisão foi concedida na manhã desta segunda-feira pela 1ª Vara Criminal de Petrópolis. De acordo com a polícia, o episódio não foi comunicado oficialmente à delegacia por nenhum dos órgãos públicos envolvidos e nem pelos familiares da vítima.

Além disso, o Hospital Alcides Carneiro, para onde Maria Thereza foi levada, não enviou pedido de remoção para verificação de óbito. Foi apurado preliminarmente que uma médica da unidade de saúde atestou o óbito da criança por volta das 11h deste domingo (22). A menina foi enterrada no Cemitério Municipal de Itaipava por volta das 16h.

Foi instaurado inquérito para apuração das circunstâncias do fato. A exumação, inclusive, busca esclarecer a causa da morte da bebê. Participam da exumação um perito da Polícia Civil, um médico legista e equipe da 105ª DP

O acidente ocorreu na última sexta-feira (20), por volta das 14h.

Ela chegou a ser atendida pelos educadores, hospitalizada, mas não resistiu. De acordo com o centro educacional, Maria Thereza foi levada para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do bairro, onde foi reanimada e entubada. Transferida, morreu dois dias depois.

A prefeitura de Petrópolis afirmou, neste domingo, que está abrindo uma sindicância para apurar os fatos ocorridos na creche e decretou luto oficial de três dias em solidariedade aos pais, familiares e amigos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos