Coronavírus pode ter qual impacto no futebol brasileiro?

PSG e Dortmund jogaram nesta quarta com portões fechados (Handout/Getty Images)

Classificado como uma pandemia, o Coronavírus ainda não causou estragos tão significativos no futebol brasileiro. Mas parece ser só uma questão de tempo. Até o momento, a mudança mais significativa foi o adiamento das duas primeiras partidas da seleção brasileira nas Eliminatórias: o confronto com a Bolívia, marcado para o dia 27, na Arena Pernambuco, já tinha até ingressos sendo vendidos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Notícias no Google News

O Brasil já contabiliza 73 casos de Coronavírus - eram só 35 na quarta-feira, ou seja, um crescimento superior a 100%. A preocupação é tão grande que o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, prevê 20 semanas difíceis - ele pediu R$ 5 bilhões ao Congresso para o combate à doença.

Leia também:

A julgar pelos últimos acontecimentos pelo mundo, é de se imaginar que tenhamos intervenções grandes nos campeonatos estaduais, Copa do Brasil e Libertadores. No Paraguai, por exemplo, todos os jogos da Libertadores e da Sul-Americana ocorrerão com portões fechados.

CBF, FPF e outras federações no Brasil não veem, por ora, necessidade de paralisar campeonatos. Porém, a partir desta quinta-feira, o Coronavírus deve assumir um outro papel no país. “A partir de agora, os casos no Brasil vão explodir, porque a transmissão do vírus virou comunitária, e não mais restrita a quem veio ao Brasil do exterior”, previu um médico infectologista, em reunião realizada no Incor.

A previsão é de que a grande São Paulo registre 45 mil casos de Coronavírus nos próximos quatro meses, com a necessidade de 10 a 11 mil leitos de UTI - não existe tal capacidade. Na Itália, por exemplo, diante da falta de leitos de UTI, todas as cirurgias não emergenciais foram suspensas e os centros de cirurgias têm recebido pacientes infectados que se aproveitam dos respiradores.

Efeitos pelo mundo: O Grande Prêmio da Austrália, que abriria o calendário da Fórmula 1 em 2020, não terá a McLaren depois que um funcionário testou positivo para o Coronavírus. Nos Estados Unidos, a NBA foi suspensa por tempo indeterminado. O presidente do país, Donald Trump, anunciou que voos da Europa não estão mais autorizados a pousar - a exceção é com o Reino Unido.

Em 11 países, os campeonatos de futebol também estão interrompidos: Espanha, Itália, China, Coreia, Japão, Áustria, Suíça, Eslováquia, Vietnã, Irã e Tailândia.

Outros 14 países terão jogos com portões fechados: Portugal, França, Alemanha, Bulgária, Romênia, Grécia, Polônia, Bósnia, Dinamarca, Republica Checa, Croácia, Paraguai, Costa Rica e Emirados Árabes. De acordo com o jornal Times, a Inglaterra seguirá pelo mesmo caminho.

Manchester City x Arsenal, por exemplo, acabou adiado. Inicialmente, estava marcado para esta quarta-feira, pela Premier League. Também se especula que a Liga Europa e a Liga dos Campeões serão suspensas.

No mundo do futebol, já são três casos: Evangelos Marinakis, dono de Olympiacos e Nottingham Forest, foi o primeiro que testou positivo para o Coronavírus. Depois, Timo Hubers, do Hannover, que pertence à segunda divisão alemã. Na sequência, Daniele Rugani, da Juventus.

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.