Coronavírus: doença também está matando crianças, diz OMS

Foto: Christophe Licoppe © Photo News via Getty Images

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse nesta segunda (16) que, apesar do novo coronavírus ser bem mais preocupante para pessoas com mais de 60 anos e com baixa imunidade, há registros de mortes em crianças.

"Esta é uma doença séria. Embora a evidência que temos sugira que aqueles com mais de 60 anos correm maior risco, jovens, incluindo crianças, morreram", disse Tedros.

Leia também:

O diretor-geral da entidade não deu mais detalhes, mas, até então a organização não havia reconhecido a morte de crianças. Os grupos de risco incluíam pessoas mais velhas ou com doenças pré-existentes, como diabetes e hipertensão.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Tedros destacou que a escalada dos casos e mortes pelo planeta respalda a adoção de medidas preventivas pautadas no distanciamento social (fechamentos de escola, suspensão de eventos, entre outros). Além disso, a OMS afirma que ampliar a realização de teste seria a melhor alternativa para lidar com a disseminação do vírus.

"Não se consegue combater um incêndio com os olhos vendados - você não consegue parar essa pandemia se não souber quem está infectado. Teste, teste, teste. Teste todo caso suspeito. Se for positivo, isole e descubra de quem ele esteve próximo" - afirmou o diretor da OMS.

A alta cúpula da organização recomenda que todos os casos, mesmo os mais leves, sejam isolados em centros de saúde. Porém, a instituição reconhece que isso não é possível em todos os países afetados, tendo em vista a falta de infraestrutura de alguns. Assim, pacientes mais velhos e com doenças pré-existentes deveriam ser priorizados nesses casos.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.