Coronavírus: governo antecipa campanha de vacinação contra gripe; SP tem 85 suspeitos

Foto: AP Photo/Andre Penner

Em entrevista coletiva, o Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (27) que número de casos suspeitos de Coronavírus em São Paulo subiu para 85, enquanto o Brasil, no total, registra 132. Até o momento, só há um caso confirmado no país: um homem de 61 anos, morador da capital paulista. Ele esteve na Itália entre 9 e 21 de fevereiro.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

O Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta também anunciou que vai antecipar a campanha nacional de vacinação contra a gripe em 23 dias. Assim, ela terá início no dia 23 de março, em menos de um mês.

Leia também

Com a vacina da gripe, os pacientes que forem às unidades de saúde com sintomas gripais terão diagnóstico mais simples, já que as doenças combatidas pela vacina não serão considerada.

De acordo com o Ministério da Saúde, serão distribuídas 75 milhões de doses, um recorde nacional. O público-alvo também sofrerá uma ampliação.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

No ano passado, a recomendação era vacinar crianças de seis meses a menores de seis anos; mulheres que deram à luz há menos de 45 dias; idosos; profissionais de saúde; professores da rede pública ou privada; portadores de doenças crônicas; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; e portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo).

Aumento de suspeitos em SP

Após a confirmação do primeiro caso, o número de casos suspeitos no estado cresceu. Dentre os 85, há duas pessoas que tiveram contato com o primeiro paciente que testou positivo para a doença no Brasil.

“Em São Paulo nós temos um total geral de 85 casos, reforçando todos eles estão bem e estão seguindo aquele mesmo protocolo que nós reforçamos no dia de ontem. Foram notificados, foram identificados, os exames estão sendo realizados e estão no seu domicílio naquele prazo de 14 dias de acompanhamento", disse Helena Sato, diretora de Vigilância Sanitária do estado.

O infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência, afirmou que os casos suspeitos de coronavírus serão monitorados pelo centro, que foi anunciado pelo governo paulista nesta quarta-feira (26).

“Este centro está montado composto com experts na área de infectologia. A primeira informação é que estamos diante de um processo conhecido. O coronavírus não é novo: nós estamos lidando com uma variação genética. Vivemos isso com H1N1, com dengue com sarampo então nós estamos preparados para lidar com uma situação que é conhecida.” afirmou Uip.