Coronavírus: Brasil tem 114 mortes e 3.904 casos confirmados

Viajante tem sua temperatura aferida em aeroporto no Rio de Janeiro (Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)

Nota do editor: Inicialmente, o Ministério da Saúde anunciou 111 mortes, mas confirmou 114 ao fim da participação do ministro Luiz Henrique Mandetta na coletiva.

O Ministério da Saúde atualizou para 114 o número de mortes em decorrência do novo coronavírus no Brasil neste sábado (28). Ao todo, também foram confirmados 3.904 casos da Covid-19 no país. Até sexta (27) eram 92 mortes e 3.417 casos.

São Paulo continua sendo o estado mais afetado, com 84 mortes e 1.406 casos confirmados. Em seguida vem o Rio de Janeiro, com 13 mortes e 558 casos.

Durante coletiva, a equipe do Ministério de Saúde fez atualizações sobre os 30 primeiros dias do combate ao novo coronavírus.

Luiz Henrique Mandetta, Ministro da Saúde

  • “Está cheio de fazedores de contas, de cálculos. A epidemia de H1N1 [gripe suína] foi diferente, eu também enfrentei, tomei providências. Mas havia medicamento que todo mundo tinha à mão, existia perspectiva de vacina. Não há receita de bolo. Quem achar que é igual vai errar feio. Essa epidemia [de coronavírus] não é assim, não causou uma letalidade pro indivíduo, não é esse o nosso problema. Ah, só vai matar 5 mil, 10 mil, não é essa a conta. É um vírus que ataca o sistema de saúde, a sociedade como um todo. Logística, educação, uma série de estruturas no mundo. Não adianta pensar na sua estrutura municipal”.

  • “A saúde não é uma ilha. A economia é, sim, muito importante, pra saúde. Colocamos em discussão como serão as quarentenas porque a última vez que teve quarentena no Brasil foi em 1917, com a gripe espanhola. Ninguém tem esse parâmetro. Não é questão de apontar o dedo para o governador A, B ou C ou para o prefeito A, B ou C. A medida que tem que ser muito bem elaborada. Tem que garantir alimentos nas comunidades. A geladeira fica vazia. Se não tiver logística, como vai chegar alimento no supermercado? Vamos colocar, sim, alguns critérios necessários. Não vai ser o plano do ministro Mandetta, único. O SUS, vamos andar com as três pernas [União, estados e municípios]. Por isso, estamos discutindo com secretários municipais e estaduais pra chegar a um consenso.Vamos medir todo dia, onde a gente ver que pode estar perdendo a guerra, aperta. Juntos, vamos acertar, errar, dias bons, dias ruins. Estamos entendendo o tamanho do dano. Não no indivíduo, com certeza vamos ter muitas perdas. Vamos olhar pra trás e dizer: foi muito duro. Mas todo dia nasce gente, graças a Deus. É o ciclo da vida. Vamos poupar a vida de todos que pudermos. Ah, o ministro sai, não sai. Volto a repetir: vou ficar aqui enquanto o presidente permitir. Tem um quarto ali, se o povo tiver gripe, vamos ficar no quartinho ali, feito uma quarentena.”

João Gabbardo dos Reis, secretário-executivo do Ministério da Saúde

  • “A inauguração do Hospital de Clínicas de Porto Alegre vai ser antecipada. Outros estados já receberam leitos de UTI. Essa semana foram entregues 540 leitos, como prometidos no primeiro momento. Vamos colocar ventiladores e respiradores à medida que for necessário.”

  • “Estamos fazendo licitação para aquisição de mais 200 milhões de máscaras. Está sendo feito de forma fracionada. O processo de aquisição não para, é contínuo.”

Confira os dados por estado divulgados pelo Ministério da Saúde:

Atualização do Ministério da Saúde neste sábado, 28 de março de 2020 (Reprodução/Ministério da Saúde)

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.