Coronavírus faz Espanha fechar Museu do Prado e outras instituições de arte

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Espanha decidiu fechar, a partir da quinta (12), o Museu do Prado, o mais importante do país, devido à crise do novo coronavírus. Esta é a primeira vez que a instituição fecha suas portas desde a Guerra Civil Espanhola, que aconteceu entre os anos 1936 e 1939.

O Ministério da Cultura espanhol anunciou que todos os centros de cultura vinculados a ele também ficarão fechados até novo aviso. A Espanha registra mais de 1.200 casos confirmados de coronavírus até esta terça (11).

Entre as instituições afetadas pela medida estão o Museu Rainha Sofia, a Filmoteca Espanhola, o Museu Arqueológico, o Museu Cerralbo e o Museu Thyssen-Bornemisza, localizados em Madri.

Na manhã desta terça (11), a OMS (Organização Mundial da Saúde) decidiu declarar que há uma pandemia do novo coronavírus em curso no mundo com a sua disseminação por mais de cem países, em todos os continentes.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que declarar pandemia não significa que a situação está fora de controle nem que mundo deva abandonar as medidas de contenção e passar a pensar em mitigação. Pelo contrário: ele pediu ações mais agressivas.

Representantes da OMS afirmam que a declaração é uma caracterização da percepção do momento, portanto, as ações da agência da ONU não serão alteradas.