Copa do Mundo sangrenta: 6,5 mil trabalhadores morreram em obras no Catar e país rejeita ajuda com indenização

A Copa do Mundo 2022 começará no dia 20 de novembro. Porém, desde o anúncio do Catar como país sede do evento algumas polêmicas vieram à tona. Além das proibições vindas da cultura catari, denúncias trabalhistas também fizeram parte das notícias sobre a Copa do Mundo 2022.

Segundo um relatório divulgado pelo "The Guardian", pelo menos 6,5 mil trabalhadores imigrantes morreram no Catar desde o início das obras para o Mundial.

Países pressionam FIFA por respostas às mortes em mortes na Copa do Mundo 2022

No domingo (06), dez países do Grupo de Trabalho sobre Direitos Humanos e Trabalhistas da UEFA pressionaram a FIFA por respostas sobre o fundo de compensação para trabalhadores da Copa do Mundo 2022.

"A FIFA se comprometeu repetidamente a fornecer respostas concretas sobre essas questões - o fundo de compensação para os trabalhadores migrantes e o conceito de um centro de trabalhadores migrantes a ser criado em Doha - e continuaremos a pressionar para que elas sejam entregues", disse o fundo em um comunicado.

Veja mais


Veja também

Mr. Catra rejeita conciliação com Val Marchiori e pede R$ 300 mil de indenização
Verde, amarelo e azul na Copa do Mundo! Esses looks são proibidos no Catar, mas perfeitos para a torcida no Brasil
Copa do Mundo 2022: Ludmilla será atração em evento no Catar na competição. Detalhes!