Copa do Mundo 2022: Após proibição da FIFA, Harry Kane e jornalista fazem protestos com braçadeiras em jogo da Inglaterra

A Copa do Mundo 2022 enfrentou alguns desafios desde o anúncio do país sede. Conhecido por ter algumas leis e regras culturais diferentes dos países ocidentais, o país vem enfrentando protestos por parte de algumas seleções. É o caso da Inglaterra e do capitão da equipe, Harry Kane.

Harry havia manifestado o desejo de usar uma braçadeira em apoio à comunidade LGBTQIA+. A vontade, porém, foi vetada pela FIFA. Segundo a entidade máxima do futebol. Os países foram proibidos de usarem símbolos políticos não aprovados.

Harry Kane protesta em estreia na Copa do Mundo 2022

A Inglaterra fez a estreia na Copa do Mundo 2022 nesta segunda-feira (21). Sem poder usar a braçadeira em apoio à comunidade LGBTQIA+, Harry Kane usou uma com a mensagem: "Sem discriminação". Ao contrário da outra, esta foi permitida pela FIFA. Além disso, os jogadores se ajoelharam em combate ao racismo antes do começo do jogo.

Além da Inglaterra, as seleções do País de Gales, Bélgica, Holanda, Suíça, Alemanha e Dinamarca. Vale lembrar que esta última foi proibida de usar um uniforme em protesto à Copa no Catar.

Repórter usa braçadeira em apoio à causa LGBTQIA+

Ao contrário de Harry Kane, a ex-jogadora da seleção da Inglaterra e comentarista da BBC usou a braçadeira em apoio à comunidade LGBTQIA+ durante a transmissão da partida do país. A atitude dividiu opiniões nas redes sociais com algumas...

Veja mais


Veja também

Copa do Mundo 2022: Harry Kane pretende peitar ordem da FIFA e jogar com braçadeira em homenagem aos LGBTQIA+
Look da discórdia? Deborah Secco ignora críticas após mostrar calcinha na Copa e tem apoio de famosos
Copa do Mundo 2022: Venda de cerveja nos estádios é vetada a dois dias do início da competição e brasileiros fazem meme