Controladora da Fox News precisa responder a processo de difamação por cobertura das eleições

Logo da Fox News

Por Jonathan Stempel

(Reuters) - Um juiz de Delaware rejeitou nesta terça-feira um pedido da controladora da Fox News Network para arquivar o processo de difamação de 1,6 bilhão de dólares da Dominion Voting Systems Inc’s pela sua cobertura da eleição presidencial de 2020.

O juiz da Suprema Corte de Delaware, Eric Davis, que no último mês de setembro disse que a Dominion poderia processar a Fox News Network, afirmou que a empresa de máquinas eleitorais também pode processar a Fox Corp sob a teoria de que ela foi diretamente responsável por declarações na emissora.

A Fox Corp não respondeu ao pedido por comentários em um primeiro momento. Em um comunicado, a Dominion disse: “Estamos satisfeitos de ver o processo progredindo para responsabilizar a Fox”.

A Dominion acusou a Fox de tentar evitar a perda de espectadores para os rivais conservadores Newsmax e One America News ao amplificar teorias falsas de que a empresa fraudou a eleição de 2020 para que o republicano Donald Trump perdesse para o democrata Joe Biden.

Algumas teorias foram disseminadas por representantes de Trump, como os advogados Rudy Giuliani e Sidney Powell, e incluíram alegações de que votos foram modificados por algoritmos que foram criados na Venezuela para fraudar a eleição para o ex-presidente daquele país, Hugo Chávez.

Em documentos do tribunal, a Dominion alegou que a Fox Corp, por meio do presidente Rupert Murdoch e do seu filho, o CEO, Lachlan Murdoch, aprovaram, controlaram e participaram diretamente da cobertura eleitoral da rede e também da repercussão posterior.

(Reportagem de Jonathan Stempel em Nova York)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos