'Contrato, salário e labuta de segunda a sexta', diz Luana Piovani sobre trabalho em Portugal

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 08.11.2017 - Luana Piovani no show do Coldplay, no Alianz Parque.(foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 08.11.2017 - Luana Piovani no show do Coldplay, no Alianz Parque.(foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

Luana Piovani, 45, está de volta às novelas. A atriz anunciou que faz parte do elenco da trama "O Segredo", que tem data prevista para outubro na SIC, Portugal. Ela, que publicou duas fotos do set de filmagens do primeiro trabalho na teledramaturgia portuguesa, confessou que passou a vida rejeitando a ideia de fazer novelas no Brasil.

"Olha, mãe! Tô na SIC [emissora portuguesa]! A vida é mesmo engraçada, não é? A vida toda fugi das novelas no Brasil e minha mãe sempre quis que eu as fizesse. Torcia para que eu assinasse contrato longo e me achava uma "doida"' em não querer o que a classe toda (estou exagerando, vai, uns 80% dos artistas) desejava", começa Piovani no relato.

Vilã

Piovani será a vilã na novela Vanda é uma mulher poderosa que descobre que a empregada está grávida do seu marido. Furiosa, ela decide sumir com a criança, mas para a sua surpresa não é só uma menina, são trigêmeas. A megera escolhe cuidar de uma criança, e some com as outras duas.

A mãe de Dom, Bem e Liz, frutos do seu casamento com o surfista Pedro Scooby, ainda revelou o motivo de ter aceito o convite: "O tempo passou, me mudei do Brasil e desde que cheguei em Portugal [2018], tinha um objetivo: fazer uma novela. Pronto! Hoje quero a segurança que minha mãe tanto insistia em querer para mim... Contrato, salário, labuta de segunda a sexta, tudo como manda a cartilha. Agora não sou mais aquela peça que você compra, agora entrei pro jogo!", explica ela.

Recentemente, Luana contou ter sofrido assédio de um nome forte da Globo no início de sua carreira. Ao contrário de outras vítimas que optam por não revelar o nome do agressor, Piovani entrega o abusador: o diretor Carlos Manga (1928-2015). "Vivi um abuso aos 20 anos, mas na época era normal e só me dei conta mais tarde", começa ela. Em seguida, Piovni dá detalhes da situação que, teria acontecido nos bastidores do remake de "Anjo Mau"', em 1997.

"Estávamos na sala do diretor Carlos Manga e de longe, ele bateu na perna e disse 'senta aqui'. Pensei: tiozinho ousado. Sentei no braço da poltrona. Depois, fui tirada da novela sob o pretexto de que desagregava. Hoje, vejo que aquele episódio pode ter pesado", considera Piovani.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos