Contaminação de óleo no litoral do Nordeste faz animais marinhos agonizarem

Tartaruga encontrada na praia da Redinha, em Natal; animal está em tratamento. Foto: Centro de Descontaminação de Fauna Oleada da UERN

RESUMO DA NOTÍCIA

• Todos os estados do Nordeste foram afetados pelo óleo cru, que é altamente tóxico e denso e matando animais marinhos.

• Manchas já chegaram a santuários de golfinhos e berçários de tartarugas.

A poluição do petróleo cru encontrado no litoral de todos os estados do Nordeste brasileiro atingiu também a fauna marinha. O óleo tomou grande parte da costa há 30 dias e pelo menos 12 animais apareceram cobertos com a substância. Com a extensão da contaminação, ao menos oito animais já morreram.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO FLIPBOARD

A informação é do portal UOL, segundo o qual 11 tartarugas marinhas foram resgatadas com óleo na costa do Nordeste, mas apenas quatro estão vivas, conforme relatório do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Uma ave também foi tratada, mas não resistiu. Tendo em vista que correntes marinhas tendem a não trazer os animais infectados para a costa, a fauna afetada pode ser ainda maior.

Leia também

A tartaruga estava com o corpo tomado por óleo e com dificuldade de respirar quando foi resgatada na praia da Redinha Nova, em Extremoz, região metropolitana de Natal, no último dia 23. A tartaruga da espécie Lepidochelys olivacea (Tartaruga-oliva) ainda está em estado de saúde grave, apesar dos mais de dez dias de reabilitação.

O boletim sobre a avaliação clínica do animal constatou: “Verificou-se que o animal se apresentava completamente recoberto pelo óleo e, embora responsivo inicialmente, apresentava elevado nível de estresse e dificuldade de respiração. Foi observada também presença elevada de óleo nas cavidades nasais, oral e nos olhos".

O coordenador do Projeto Cetáceos Costa Branca, da UERN (Universidade Estadual do Rio Grande do Norte), o biólogo Flávio Lima, explicou que, devido às lesões, a tartaruga está recebendo suporte vitamínico e mineral, assim como medicamentos antitóxicos, antibacterianos e anti-inflamatórios.

Animais marinhos menores que a tartaruga, como caranguejos, guaiamuns e aratus também sucumbiram à presença do óleo.

O último balanço, divulgado pelo Ibama na quinta-feira (3), apontou que foram atingidas pelo óleo 124 praias de 59 municípios. O levantamento, no entanto, ainda não incluía as praias da Bahia.

Nessa sexta (4), uma mancha densa e extensa de óleo surgiu no mar da praia dos Artistas, em Aracaju (SE). O local foi interditado Segundo a Adema (Administração Estadual do Meio Ambiente). A concentração da substância no local foi a maior já encontrada nos nove estados nordestinos afetados pelo derramamento de petróleo cru desde o mês passado.

Petróleo estrangeiro

A substância surgiu nas praias poucos dias após um vazamento de cinco metros cúbicos de óleo e água na estação de tratamento de despejos industriais da Refinaria Abreu e Lima, em Ipojuca (PE), na região metropolitana do Recife. O vazamento ocorreu no dia 26 de agosto.

A Semas (Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade) e a Petrobras, contudo, negam que o material despejado no mar tenha relação com o derramamento de óleo da refinaria.

A Petrobras informou que análise nas amostras de petróleo cru coletadas em praias do Nordeste mostrou que o material não é produzido e nem comercializado no Brasil. Os testes foram realizados nos laboratórios do Cenpes (Centro de Pesquisas da Petrobras), no Rio de Janeiro.

A Petrobras afirmou que está tentando identificar o país de origem do petróleo e as análises de comparação das moléculas dos substratos internacionais devem durar cerca de 20 dias.