Confira o protocolo do Reino Unido após a morte da rainha Elizabeth

Rei Charles credit:Bang Showbiz
Rei Charles credit:Bang Showbiz

A rainha Elizabeth morreu nesta quinta-feira (8), aos 96 anos de idade, na Escócia.

Após o anúncio do falecimento da monarca, o príncipe Charles, filho mais velho da rainha, assumiu o trono do Reino Unido com efeito imediato. As leis de sucessão declaram que a coroa é instantaneamente passada adiante, embora existam vários protocolos oficiais para o novo rei.

A primeira-ministra britânica, Liz Truss, realizará uma audiência com o novo rei antes que ele faça seu primeiro discurso à nação.

Ao mesmo tempo, estará acontecendo um memorial na Catedral St Paul, localizada em Londres, que contará com a presença de Truss e de outros ministros do governo.

Nesta sexta-feira (9), um Conselho se reunirá no Palácio de St. James para proclamar oficialmente o rei Charles como o novo soberano diante dos conselheiros do governo.

O Parlamento se reunirá para enviar uma mensagem de condolências e todos os outros encontros serão suspensos por 10 dias.

No final da tarde, o novo rei se juntará ao primeiro-ministro e ao gabinete para uma reunião.

No terceiro dia, Charles receberá a moção de condolências no Palácio de Westminster (Westminster Hall) antes de embarcar em uma turnê pelo Reino Unido, começando com uma visita ao parlamento escocês e uma missa na Catedral de St. Giles, em Edimburgo. Ele irá para a Irlanda do Norte no quarto dia, para receber outra moção de condolências no Castelo de Hillsborough e participar de uma missa na Catedral de St. Anne, em Belfast.

No final da semana, ele receberá outra mensagem de condolências no parlamento galês e participará de um serviço na Catedral de Llandaff, em Cardiff, País de Gales.

Uma cerimônia oficial de coroação ocorrerá em algum momento nos próximos 12 meses. Foi revelado anteriormente que o ritual provavelmente seria limitado a apenas 2 mil convidados, porque esperava-se organizar um evento que fosse "mais curto, mais cedo, menor, menos caro e mais representativo de diferentes grupos comunitários e religiões" do que quando Elizabeth foi formalmente coroada, em junho de 1953, 16 meses depois de ascender ao trono.

Enquanto isso, dois dias após a morte da rainha, seu caixão será levado de volta ao Palácio de Buckingham de acordo com os planos especificados na ‘Operação Unicórnio’ - o procedimento a ser seguido caso ela morresse na Escócia - o que significa que viajará para Londres de trem real, se possível, caso contrário, de avião. A primeira-ministro e outros ministros estarão à espera do cortejo.

No quarto dia após a morte da soberana, haverá também um ensaio para o translado do caixão do Palácio de Buckingham até Westminster, antes da verdadeira procissão ao longo de uma rota cerimonial no dia seguinte, culminando em uma missa, no Westminster Hall.

O caixão poderá ser visitado pelo público 23h por dia, por três dias.

Um funeral de Estado - que será um Dia de Luto Nacional - será realizado na Abadia de Westminster 10 dias após a morte da rainha.

Haverá um silêncio de dois minutos ao meio-dia e cortejos ocorrerão nas cidades de Londres e Windsor. A Rainha será sepultada no Castelo de Windsor, na Capela Memorial do Rei George Vi, ao lado de seu pai.