Condenado por agredir atriz Cristiane Machado está proibido de divulgar processo

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-diplomata Sergio Schiller Thompson-Flores, acusado de agredir a mulher, a atriz Cristiane Machado, e condenado a três anos em regime semiaberto por isso, está proibido pela Justiça de comentar ou compartilhar informações sobre o processo. De acordo com informações do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Cristiane Machado entrou com uma ação em 2019 pedindo para que o Sérgio Thompson-Flores se abstivesse de divulgar qualquer informação sobre os processos envolvendo os dois que correm em segredo de Justiça. A liminar foi concedida, mas ele recorreu. Os desembargadores da 11ª Câmara Cível agora rejeitaram o recurso. Com isso, o ex-diplomata está impedido de publicar ou comentar qualquer coisa sobre o tema. Caso haja descumprimento, ele terá de pagar uma multa no valor de R$ 50 mil para cada divulgação. Cristiane acusa Flores de agredi-la física e verbalmente. Ela instalou câmeras em seu quarto e gravou os episódios em 2018. Os vídeos foram exibidos no programa Fantástico, da Globo, na ocasião. Ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. Cristiane disse ao mesmo Fantástico que o marido tentava saber sobre a sua rotina. De acordo com a atriz, Flores ligou para o caseiro para obter informações sobre o que ela fazia. A defesa de Flores rebate todas as acusações. Segundo os advogados, o ex-diplomata ligou para saber sobre os seus bens e sobre os animais de estimação. Eles também negam que Flores tenha agredido a mulher. AGRESSÕES Cristiane --que já atuou em novelas da Globo e da Record e é conhecida por ser a musa brasileira do artista plástico Vik Muniz-- já havia detalhado as supostas agressões do marido que segundo ela, foram de xingamentos e empurrões a puxões de cabelo, tapas e ameaças de morte, além do cárcere privado. Sylvio Guerra, advogado da atriz, afirmou que ela sofreu agressões em série. A primeira denúncia foi realizada em 4 de março de 2018 e resultou numa medida protetiva que proibia Sergio de manter contato ou ficar a menos de 300 metros de distância de Cristiane. Assim, ele teria que deixar a casa em que vivia com a atriz, no Rio. Sergio, no entanto, quebrou a medida e invadiu a residência da atriz. Com imagens gravadas por câmeras escondidas instaladas em seu quarto, a atriz fez a segunda denúncia. "Usando as imagens como prova, requeri a prisão preventiva de Sergio, que foi acolhida", afirmava o advogado.