Companheiro, dócil e alegre: escolha qual buldogue para chamar de seu

Buldogue inglês – Foto: Reprodução/Pixabay

Por Fabiana Bertagnolli

Se você é daqueles que tropeça na calçada porque desviou o olhar para ver um cão já
deve ter percebido que, além de poodles, labradores e vira-latas, duas outras raças
têm se destacado nas ruas e parques: os buldogues franceses e ingleses. Pois saiba que
sua percepção faz sentido. De acordo com levantamento do site DogHero, eles
ocupam a sexta e a 18º colocação, respectivamente, entre as 20 raças mais populares
no Brasil.

A predileção por buldogues pode até causar estranheza se os compararmos com raças
de características mais “fofinhas” presentes na lista, como o shih tzu (2º lugar) e o
lhasa apso (5º). Mas não se engane. Por trás da cara de invocado, existe um animal
extremamente dócil e companheiro. “Eles são baixos, de porte forte, muito atentos e
alegres”, explica Artur Oliveira C. Silva, proprietário do canil J&A.

Buldogue francês – Foto: Reprodução/Pixabay

Os primeiros buldogues surgiram na Inglaterra em meados do século XVII. Chamados
de bulldogs, eram usados em combates contra touros, os bull baitings. Felizmente, a
prática foi abolida em 1835 e, anos depois, eles passaram a ser usados como cães de
companhia. Tanto o inglês como o francês são braquicefálicos, ou seja, possuem
focinho achatado.

“A principal diferença entre eles está no temperamento e disposição”, explica Silva.
Enquanto os exemplares da terra da rainha elegem um preferido na casa e podem ser
mais desobedientes, os “irmãos” franceses são dóceis com pessoas de todas as idades,
inclusive estranhos. Segundo o proprietário do canil J&A, eles vivem, em média, 12 a
14 anos.

Embora ambos tenham praticamente o mesmo tamanho – o buldogue inglês mede
entre 30 e 38 centímetros e o francês, entre 29 e 35 – é o porte físico que mais
diferencia as raças. Com bochechas caídas e cara de bonachão, inglês pesa entre 20 e
25 quilos e tem a pelagem mais enrugada, enquanto o francês, que também é
chamado de cão-morcego, pesa entre 8 e 14 quilos.

Ambos se assemelham no que diz respeito à manutenção. “O tutor deve sempre
limpar as rugas do pet, evitar banhos com frequência para não tirar a proteção da pele
e secar bem pós banho”, orienta Silva. Além disso, é necessária atenção redobrada aos
ouvidos, pele, olhos e ao sistema respiratório. Vale salientar que buldogues não se dão
bem com umidade e devem, preferencialmente, ficar dentro de casa.

Ter um buldogue é uma boa opção se a intenção é ter um cão de companhia. “Eles são
alegres e têm picos de energia durante o dia, mas, em geral, são calmos”, analisa o
criador. No entanto, é preciso ter paciência para adestrá-los, já que eles não são muito
obedientes. “Eles são muito teimosos, mas não é impossível de educar”. Verdade seja
dita: com esses olhinhos, vai ser difícil se irritar com alguma malcriação.