Como testar amostras grátis de produtos de beleza com segurança

Fonte da imagem: POPSUGAR Photography / Diggy Llyod

Uma mulher da Califórnia está processando a Sephora, alegando que um batom infectado que ela experimentou numa unidade da gigante do varejo, lhe passou herpes. A notícia foi recebida como um alerta por amantes de maquiagem de todo o mundo, afinal, ninguém quer entrar numa loja em busca de um batom e sair com uma doença incurável. Como não costumo me preocupar muito com este tema (nunca serei aquela mulher que leva sempre um álcool em gel na bolsa), o processo me lembrou de como é importante ser responsável na hora de testar produtos de beleza.

Por este motivo, entrei em contato com a Dra. Nava Greenfield, do Schweiger Dermatology Group, em Nova Iorque, com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas e obter respostas definitivas sobre como experimentar itens de maquiagem com segurança.

Quando informei a Dra. Greenfield sobre o processo, ela pareceu surpresa. “Eu nunca vi um caso de transmissão de herpes como este, e acho que é bastante incomum, já que as feridas precisam do contato pele-com-pele,” disse ela via e-mail. “Mas não é impossível. Os agentes infecciosos podem ser transferidos pelos produtos de beleza”.

De acordo com a Dra. Greenfield, o risco de infecção aumenta quando um produto é testado em mucosas, tecidos presentes em partes do corpo que incluem a boca e as pálpebras. “As membranas mucosas são mais suscetíveis a transferências infecciosas de produtos e é mais provável que ocorra uma infecção, mas isso também pode acontecer em outras superfícies da pele,” ela explicou.

“Os agentes infecciosos podem ser transferidos pelos produtos de beleza”.

A Dra. Greenfield também se referiu aos cosméticos como “fômites”, ou materiais capazes de transportar infecções. É por isso que lavamos peças de roupas e utensílios e higienizamos produtos de beleza.

Então… como podemos encontrar o melhor tom de um produto para a nossa pele e manter os germes longe dela? A Dra. Greenfield admite que, pessoalmente, não testa amostras grátis de cosméticos, por causa do risco: “Eu só uso produtos novos”. No entanto, se você quer fazer um teste, o melhor é usar o antebraço.

A Dra. Greenfield aconselha: “Recomendo limpar qualquer produto com álcool, antes de aplicá-lo, e só usar itens completamente novos em superfícies mucosas ou perto dos olhos”.

Além disso, podemos nos sentir abençoados por estarmos em 2017 e termos acesso aos testes digitais de produtos de beleza. A Sephora oferece a função gratuita Swatch Me como parte de seu aplicativo Beauty Insider. Esta ferramenta permite que os usuários experimentem praticamente qualquer produto que a loja vende no braço e no rosto. O Cocoa Swatches é outro aplicativo e perfil no Instagram que faz uma curadoria de fotos de testes de maquiagem em tons de pele mais escuros, que não costumam ter uma alta representatividade na mídia.

Fonte da imagem: POPSUGAR Photography / Mark Popovich

Alaina Demopoulos

Popsugar UK