Como Salma Hayek superou a fobia de cobras em "Um Drink no Inferno"

Rafael Monteiro
·1 minuto de leitura
Salma Hayek em cena icônica de "Um Drink no Inferno" (reprodução)
Salma Hayek em cena icônica de "Um Drink no Inferno" (reprodução)

Salma Hayek precisou superar a fobia de cobras para filmar a que talvez tenha sido a cena mais marcante da sua carreira. Em entrevista ao E! News, a atriz mexicana lembrou como conseguiu superar o medo durante as gravações de "Um Drink no Inferno" (1996).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

"Eu tinha uma fobia, e isso não estava no script. Eu assinei o contrato, e só depois Robert Rodriguez [diretor] e Quentin Tarantino [roteirista] decidiram que a cena seria com uma cobra ao redor do meu pescoço", contou.

Leia também:

Ela até pensou em desistir do papel, mas as contas para pagar falaram mais alto. "Quando eu disse que não faria, eles responderam: 'Está tudo bem. Vamos encontrar outra atriz'. Mas eu precisava pagar meu aluguel!", falou.

Foi, então, que Hayek - atriz que sofreu preconceito no início da carreira pela sua origem latina - teve a ideia de pesquisar sobre o simbolismo da cobra em diferentes culturais. Só assim ela conseguiu forças para encarar as gravações e ter o nome marcado na história do cinema.

"Uma das culturas sobre a qual li, não me lembro qual, considerava a cobra uma representação da nossa força interior. Então, para a cena, eu fiquei repetindo na minha cabeça que estava dançando com a minha força interior, ou algo assim", finalizou.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube