Como sair de um relacionamento abusivo?

Marcela De Mingo
deixar um relacionamento abusivo
Deixar um relacionamento abusivo exige tempo e paciência. (Foto: Getty Creative)

Muito se fala em como identificar um relacionamento abusivo, mas será que já paramos para pensar em como sair deles? Sim, parece que identificar e abandonar uma situação de violência, seja física ou moral, é uma ação óbvia, porém, na realidade as coisas não funcionam bem assim.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Segundo um estudo da Universidade de Michigan, desenvolvido pelo professor Daniel Saunders, as mulheres têm dificuldade em sair desses relacionamentos por muitos fatores, sendo a falta de recursos um dos principais.

É comum em relacionamentos desse tipo o abusador ter controle do dinheiro da mulher e da sua vida como um todo, muitas vezes impedindo que ela trabalhe. Ou seja, deixar o relacionamento para se sustentar sozinha passa a ser um desafio bastante grande. Se o casal tem filhos, a situação também complica - e é comum mulheres manterem o relacionamento por conta dos filhos ou por medo deles sofrerem as consequências da sua decisão.

Leia também

"A maior dificuldade para deixar o relacionamento abusivo está diretamente ligada à eficiência da manipulação emocional combinada com a pressão que as mulheres sofrem para estarem em um relacionamento", explica também Isabela del Monde da Rede Feminista de Juristas.

Segundo ela, fomos criadas para sentir que temos valor quando estamos em uma relação - as solteiras são mal vistas, "ficam para a titia". Como resultado dessa construção social, entramos em um estado de confusão mental: é a soma desses valores ao fato de que o homem que diz que ama você também é o que te violenta. E deixar uma relação dessas torna um motivo de conflito interno muito grande.

De acordo com Saunders, outro motivo que torna esse término mais complicado é a falta de apoio de familiares e amigos, que muitas vezes não reconhecem a violência presente no relacionamento. Fora isso, o medo da retaliação: estudos mostram que os riscos de homicídio são maiores depois que a vítima deixa o agressor.

Como sair de um relacionamento abusivo?

O primeiro passo, de acordo com Isabela, é a mulher entender o seu papel na relação: "É genuinamente compreender e aceitar que não há nada que a mulher faça ou deixe de fazer que causa os comportamentos violentos do homem e que não há nada que ela possa fazer para transformar aquele homem, já que as pessoas mudam apenas porque elas querem", diz.

A advogada explica que é importante compreender que a socialização masculina - ou seja, nutrir a ideia que o homem, em algum momento, vai se sentir motivado a mudar por causa do amor que diz sentir pela mulher -, subalterniza as mulheres e faze mal à elas. E esse reconhecimento é uma maneira de caminhar em direção à libertação de uma situação de abuso. "É o primeiro passo para recobrar o poder sobre si mesma!", continua.

Outro ponto importante é buscar uma rede de apoio. Pessoas que amem e tenham muita escuta livre de julgamentos, além de paciência. Deixar um relacionamento abusivo não é um processo simples ou rápido, e a mulher vai passar por momentos de dúvida e insegurança. Essas pessoas, sejam amigos ou familiares, vão precisar relembrá-la a todo momento o quanto ela é importante e merece continuar o caminho em direção a uma vida mais livre.

Portrait smiling, happy women friends with senior bride in sunny rural garden
Buscar uma rede de apoio, entre amigas e familiares é essencial para o processo de deixar um relacionamento abusivo (Foto: Getty Images)

"Acredito que o recomeço da vida depois da relação abusiva é muito melhor, mais alegre e mais transformador se feito próximo de um círculo de mulheres. Então recomendo muito que uma mulher busque estar ou construir uma irmandade com as mulheres da sua vida", recomenda Isabela.

É preciso notar também que em casos de violência física, é importante que as autoridades sejam avisadas e que esse processo passe por uma acompanhamento rigoroso, inclusive para evitar a possibilidade de uma violência futura gerada por raiva e vingança.

Fora isso, o aconselhamento psicológico também é essencial para ajudar na recuperação de um mulher que acabou de deixar um relacionamento abusivo. "A maior dificuldade, de acordo com minha percepção, é se reencontrar consigo mesma e voltar a se sentir valorosa e importante e capaz, já que esse tipo de abuso destrói a auto confiança. O ideal, acredito eu, para superar isso é buscar apoio de especialistas de saúde mental, como analistas ou terapeutas, e conviver proximamente de mulheres que você ama e confia", termina a advogada.

Tenha em mente também que é possível pedir ajuda em casos de violência contra a mulher de forma anônima, discando 180.