Como lidar com a ansiedade durante a quarentena (e depois dela também)

Marcela De Mingo
·3 minuto de leitura
stressed student
stressed student

A gente não sabe o que vai acontecer daqui um mês, não tem ideia de como as dinâmicas do dia a dia, antes tão conhecidas por nós, vão se desenrolar depois que a quarentena de coronavírus acabar, muito menos consegue lidar direito com a avalanche de notícias que nos recebe todos os dias nas redes sociais. Aprender como lidar com a ansiedade virou mais do que uma questão de saúde mental, mas uma necessidade básica.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentários

Por isso, fizemos uma live no nosso Instagram (e que você pode ver abaixo) na última semana com a terapeuta e consteladora Alessandra Pais para falar sobre como administrar a ansiedade em tempos de coronavírus. O bate-papo rendeu uma série de insights, que você acompanha abaixo:

1.Dois tipos de ansiedade

Antes de mais nada, Alessandra explica sobre como existem dois tipos de ansiedade. O primeiro é uma reação comum diante de situações corriqueiras da vida, como tomar uma avião para uma viagem de férias, aguardar o resultado de uma prova ou um exame médico importante. Nesse contexto, ela é considerada saudável, uma preparação para entender como lidar com a situação que está chegando.

A ansiedade começa a se tornar um transtorno quando passa a ser persistente. Nesse caso, você tem uma questão mais delicada que tanto gera incômodo e limitações no dia a dia, como não passa sozinha - muitas vezes, é preciso tanto auxílio de um profissional de saúde quanto de tratamentos químicos para ser controlada.

2.Quais os sintomas da ansiedade?

De acordo com a terapeuta, os sintomas da ansiedade, já nesse estado mais avançado de transtorno, aparecem de muitas maneiras. Os principais sintomas são insônia, a inquietação e a irritação em excesso, medo maior do que o comum, falta de apetite ou apetite em excesso, queda de cabelo, dores musculares sem motivo aparente e cansaço extremo.

Importante notar que se você têm dúvidas sobre a sua condição, pode e deve consultar um médico para receber o diagnóstico correto e o melhor tratamento para ansiedade.

Leia também

3.Ansiedade tem cura?

Alessandra explica que, por ser parte de uma programação natural do ser humano, a ansiedade não tem cura, mas o transtorno de ansiedade pode, sim, ser controlado. Para isso, é importante buscar ajuda especializada para um correto diagnóstico e o tratamento adequado, quer seja via medicamento, quer seja via a própria terapia.

4.Como lidar com a ansiedade?

A terapeuta ressalta que é essencial estabelecer uma rotina para auxiliar no controle da ansiedade. Ter horários para dormir e acordar, buscar estruturar o dia de uma forma tranquila, quer você esteja trabalhando de casa ou não, e incluir nesse dia a dia atividades que promovam o seu bem-estar, como uma alimentação adequada e exercícios físicos, colaboram para um estado mental também mais saudável.

5.Pratique a atenção plena

Alessandra explica que o que motiva a ansiedade são pensamentos em relação ao seu passado (como uma experiência ruim que você teme que aconteça de novo) ou uma situação futura (que você não tem certeza ou não sabe se vai acontecer do jeito que você imagina). Por isso, ela relembra a importância de procurar lidar com os dias um de cada vez, sempre procurando manter o foco da sua mente nas atividades que estão sendo executadas naquele momento. Para ela, o mais importante nesse processo é você buscar cuidar do que está ao seu alcance e evitar alimentar imaginações sobre o futuro.