Como Lady Gaga se tornou o maior nome da temporada de premiações

Gaga com seu Oscar de melhor canção original, conquistado por ‘Shallow’ (Imagem: Getty Images)

Lady Gaga nem precisou ganhar o Oscar de melhor atriz para ser o nome mais comentado da temporada de premiações deste ano. Com as conquistas do Globo de Ouro, Bafta e Oscar de melhor canção, por ‘Shallow’, do Critic’s Choice de melhor atriz (dividido com Glenn Close) e três vitórias no Grammy, ela foi a primeira mulher a conquistar troféus nos cinco prêmios no mesmo ano.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

Durante as aparições de Gaga nos últimos dois meses, alguns elementos se repetiram. Um deles foi a escolha de figurinos. A cantora, que no agora distante ano de 2010 chegou a desfilar no tapete vermelho de um evento da MTV trajando um vestido feito de bifes de carne, optou por looks no estilo clássico.

No Globo de Ouro, por exemplo, usou um vestido longo em tons de lilás que remetiam ao figurino de Judy Garlanda na versão de ‘Nasce uma Estrela’ lançada em 1954. Já no domingo passado, para o Oscar, sua inspiração também foi a chamada Era de Ouro de Hollywood, com direito a um diamante usado por Audrey Hepburn em ‘Bonequinha de Luxo’. Nos dois casos, entrou nas famosas listas dos mais bem vestidos feitas por especialistas em moda.

Outro fator recorrente foram as lágrimas de Lady Gaga ao receber seus prêmios. Para os detratores, um tanto quanto forçado. Para os fãs, hora de se emocionar junto. Seus discursos seguiram o padrão inspiracional.

“Se você está em casa, no seu sofá, assistindo a isso, tudo o que eu tenho a dizer é que esse é um trabalho duro. Eu trabalhei duro por muito tempo para chegar até aqui”, disse no palco do Dolby Theater, segurando nas mãos o Oscar de melhor canção. “Não é sobre ganhar, é sobre não desistir. Se você tem um sonho, lute por ele. Existe uma disciplina. Não é sobre quantas vezes você foi rejeitado, caiu e teve que levantar. É quantas vezes você fica em pé, levanta a cabeça e segue em frente.”

É inegável também que Gaga, ao lado de Bradley Cooper, protagonizou o momento mais comentado da noite: a performance intimista de ‘Shallow’. Daqui alguns anos, é provável que muita gente nem lembre da vitória de ‘Green Book’ como melhor filme desta edição, mas ainda guarde na memória esta apresentação.

Puxada pela presença da cantora, assim como de filmes populares como ‘Pantera Negra’ e ‘Bohemian Rhapsody’, a cerimônia apresentou uma melhora de audiência em relação ao ano passado, quando teve o pior número de espectadores em toda a história.

Para a Academia, a boa notícia é que Lady Gaga deve continuar investindo na carreira de atriz. Depois da participação na série ‘American Horror Story’ (que já tinha lhe rendido um Globo de Ouro, em 2011) e da boa recepção de ‘Nasce uma Estrela’, ela é cotada para fazer a versão Ursula no remake em live-action de ‘A Pequena Sereia’.