Coronavírus: como evitar o esgotamento mental em casa

Trabalhar em casa pode ser tentador para as pessoas trabalharem por mais horas. (Getty Images)

Milhões de trabalhadores em todo o Reino Unido foram forçados a estabelecer escritórios em casa, na tentativa de combater o surto do coronavírus. Boris Johnson introduziu medidas draconianas que só permitem que as pessoas entrem no prédio se for inevitável, como no caso de funcionários do Sistema de Saúde e motoristas de entregas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A novidade de se trabalhar em casa, combinada com a falta de deslocamento, pode tentar os trabalhadores a dedicar mais horas ao trabalho. Com a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhecendo o “esgotamento mental” como uma “síndrome”, um especialista se preocupa que ao exagerar na carga de trabalho em casa, isso possa desencadear um conjunto de problemas de saúde, não relacionados à infecção.

Leia também

Pesquisas anteriores sugerem que o coronavírus é leve em quatro de cinco casos, no entanto, pode levar a uma doença respiratória chamada COVID-19.

Os britânicos foram instruídos a trabalhar em casa, se puderem, em meio ao surto de coronavírus. (Getty Images)

A OMS define o esgotamento mental como "uma síndrome resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso".Isso leva à baixa de energia, "sentimentos de negativismo ou ceticismo" em relação ao seu trabalho, com redução da "eficácia".

Os sintomas podem parecer vagos, no entanto, Brendan Street - "chefe do bem-estar emocional" da Nuffield Health - afirma que há sinais de alerta importantes a serem observados:

• Dificuldades para colocar as coisas em perspectiva: pensamentos intermináveis ​​passando pela sua cabeça podem deixá-lo desamparado. À medida que o esgotamento progride, até pequenos problemas podem parecer insuperáveis;

• Mudanças de humor: o esgotamento pode provocar explosões de raiva ou irritação. Se não for cuidado, ansiedade, ataques de pânico e depressão podem ocorrer;

• Sensação de esgotamento: em vez de relaxar, seu trabalho pode ser tudo sobre o que você pensa. Não se desligar de tempos em tempos pode levar a dores de cabeça e fadiga;

• Medo de delegar função: querer controlar todas as tarefas, por menor que seja, é um sinal de esgotamento;

• Verificar e-mails constantemente: fazer login tarde da noite consome o tempo que deveria ser gasto relaxando.

Coronavírus: Como combater o esgotamento

Um certo grau de estresse talvez seja inevitável.

Uma pandemia global é um evento sem precedentes em todas as nossas vidas, com muitos lutando para se adaptar ao novo "normal".

Outros podem se sentir financeiramente vulneráveis, enquanto o medo de pegar o vírus pode levar à ansiedade em relação à saúde.

Especialistas enfatizaram que as pessoas deveriam tomar um banho, faze uma caminhada ou ligar para um amigo.

Quando se trata de esgotamento, Street afirma que dicas simples podem fazer com que as pessoas se sintam menos esgotadas:

• Fale com seu chefe: faça uma lista do que você suspeita que esteja causando seu esgotamento, sejam prazos irrealistas ou uma carga de trabalho incontrolável. Organize um bate-papo virtual com alguém mais experiente na equipe para conversar sobre isso;

• Conheça seus direitos: se seu chefe não te apoiar, procure o RH. O Tribunal de Justiça Europeu decidiu em maio de 2019 que os empregadores devem tomar medidas para garantir que os empregados não excedam a semana de trabalho máxima de 48 horas e façam pausas adequadas;

• Confie na sua equipe: permita que os seus colegas continuem com o trabalho para o qual foram contratados, em vez de sentir que tudo é de sua responsabilidade;

• Programe o tempo de inatividade: reserve intervalos como faria nas reuniões. Embora não possamos socializar pessoalmente, organize conversas telefônicas ou tente meditar;

• Atenha-se a um dia útil definido: não adicione tempo que você normalmente gasta no deslocamento e faça uma pausa adequada para o almoço;

• Use o suporte oferecido: muitas empresas têm suporte no local de trabalho, como programas de assistência a funcionários. Eles oferecem contato direto e confidencial com especialistas que ajudam as pessoas em tudo, desde problemas emocionais e familiares até problemas relacionados ao trabalho e dependência.

Um jornalista usa uma máscara enquanto se desloca em Madri. (Getty Images)

O que é o coronavírus?

Desde que o surto de coronavírus foi identificado, mais de 2 milhões e meio de casos foram confirmados em todo o mundo, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

Nesses casos, sabe-se que mais de 667.500 "se recuperaram".

Globalmente, o número de mortos ultrapassou 174.500.

O coronavírus se espalha principalmente através de gotículas infectadas expelidas pela tosse e espirro.

Também há evidências de que pode ser transmitido nas fezes e sobreviver nas superfícies.

Embora a maioria dos casos seja leve, a pneumonia pode ocorrer se o coronavírus se espalhar para os alvéolos pulmonares.

Isso faz com que eles fiquem inflamados e cheios de líquido ou pus.

Os pulmões então lutam para inspirar ar, resultando em oxigênio reduzido na corrente sanguínea e no acúmulo de dióxido de carbono.

O coronavírus não possui um tratamento "definido", com a maioria dos pacientes combatendo naturalmente a infecção.

Aqueles que necessitam de hospitalização recebem "cuidados de suporte", como oxigenação, enquanto o sistema imunológico começa a funcionar.

As autoridades incentivam as pessoas a evitar o coronavírus lavando as mãos regularmente e mantendo o distanciamento social.

Alexandra Thompson

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário