Como escolher o protetor solar ideal para você

Aplicar protetor solar é essencial, especialmente durante o verão (Foto: Will Russel/Getty Images)

Por Gislene Vieira

Apesar de o câncer de pele ser o mais frequente no Brasil, proteger o corpo e o rosto dos raios do sol não está entre as maiores preocupações da população. De acordo com uma pesquisa realizada pelo pesquisador Lucas Portilho, diretor científico do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele, 72,5% da população não aplicam protetor solar diariamente.

“O produto é um dos recursos mais importantes na prevenção do câncer de pele, pois evita a exposição excessiva à radiação ultravioleta”, diz o dermatologista Pedro Dantas, Coordenador do Departamento de Oncologia Cutânea da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A lista de benefícios do uso diário do protetor solar não para por aí. “Além de reduzir o risco de câncer de pele, o hábito diminui sinais de envelhecimento prematuro (manchas e rugas), queimadura de sol, melasma e pontos escuros”, enumera a dermatologista Valéria Marcondes, membro da SBD e da Academia Americana de Dermatologia.

Se você tem dúvidas na hora de comprar um protetor solar – sabemos que existem muitas opções de marcas, preços e funções –, siga as recomendações dos especialistas:

Entenda os números do FPS e do PPD

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda, de modo geral, fotoprotetores com Fator de Proteção Solar (FPS) maior ou igual a 30. Esse número na frente da embalagem mostra por quanto tempo você pode ficar exposto ao sol sem ficar com a pele vermelha. Um FPS 30, por exemplo, daria a você proteção por meia hora.

A informação sobre o fator de proteção, entretanto, não é a única importante: enquanto ele bloqueia os raios UVB, responsáveis por queimaduras, o PPD afasta os raios UVA, ligados ao envelhecimento. Esse valor deve ser de, no mínimo, 1/3 do FPS – ou seja, se você compra um protetor com FPS 30, seu PPD precisa ser 10.

Escolha o formato mais adequado

Fica mais fácil criar o hábito de passar protetor solar diariamente se você estiver usando um formato prático. Por exemplo, para quem tem muitos pelos, é muito melhor espalhar um produto em spray pelo corpo do que um em creme. “A versão loção é boa para proteger grandes áreas, a spray, para regiões com pelos, enquanto a bastão é indicada para onde há mais suor ou próximo aos olhos e nos lábios”, aconselha Paulo.

Verifique a fórmula

Existem basicamente dois tipos de filtros: os físicos e os químicos. Os primeiros funcionam como uma barreira mecânica à radiação ultravioleta, tendem a ser um pouco mais espessos e, por oferecem pouca chance de irritação, podem ser utilizados por crianças acima de 6 meses. Já os químicos – o tipo mais comum e comercializado – protegem da radiação ultravioleta por uma reação química. Eles são mais fáceis de espalhar, mas apresentam maior probabilidade de irritar a pele, uma vez que são absorvidos pela superfície cutânea.

Considere seu tipo de pele

Existem algumas indicações gerais para acertar na hora da compra: peles oleosas se dão melhor com um protetor solar oil-free; as secas, com um que tenha fórmula hidratante; as claras, com FPS mais alto (a partir de 50 é um bom número). “Apesar desses recomendações, o ideal é que o paciente procure um dermatologista para avaliar as particularidades da sua pele e das suas atividades antes de adquirir um produto”, recomenda Paulo.

Fique de olho nos benefícios extras

Uma fórmula com tom de base não é indicada apenas para quem quer cobrir manchas ou esconder marcas de espinha. “O filtro solar com cor oferecem uma barreira física adicional, sendo recomendado como uma proteção maior para luz visível”, diz Paulo.

Já quem está preocupado com o envelhecimento precoce vai se beneficiar por produtos com ingredientes antioxidantes (substâncias que combatem os radicais livres).

Para quem gosta de praticar esportes ou passar um tempo no mar, a melhor alternativa é procurar pelos termos “resistente à água” ou “resistente ao suor” na embalagem – mas, ainda assim, eles necessitam ser reaplicados após você voltar do mergulho ou da corrida da praia, ok?

Leia a lista de ingredientes

Reserve um tempo para verificar se na composição há palavras como PABA, parabenos ou oxibenzona, que pode aparecer como benzofenona-2, benzofenona-3, diosbenzona, mexenona, sulisobenzona ou sulisobenzona sódica). Para Valéria, essas substâncias devem ser evitadas porque podem causar alergias e irritação, sobretudo em quem tem pele sensível.

Vale lembrar que, para proteger-se do sol durante o verão, também é recomendado preferir locais com sombra (árvore, guarda-sol, tenda…), utilizar chapéus de abas largas e não abrir mão dos óculos escuros.