Como escolher o melhor filtro solar e proteger as crianças neste verão

·3 min de leitura
Filtro solar: é preciso ter muito cuidado na hora de escolher
É preciso ter muito cuidado principalmente na hora de escolher o filtro solar. Foto: Getty Images

Crianças e bebês têm a pele mais sensível a queimaduras e, por isso, merecem uma atenção ainda maior quando expostos ao sol. É preciso ter muito cuidado principalmente na hora de escolher o filtro solar e roupas com proteção UV, por exemplo.

Os filtros solares mais indicados para essa faixa etária são os com fator de proteção 30 ou mais. “É melhor os físicos do que os químicos. Eles contêm minerais que atuam como uma barreira reflexiva”, destaca Vanessa Mouawad, pediatra neonatologista pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Para aplicar na pele é necessário passar o cosmético, pelo menos, meia hora antes de sair na rua e sempre sem roupa. A especialista destaca que o recomendado é passar em todas partes do corpo. No caso de bebês, até na cabeça o uso de protetor solar é indicado.

Como escolher o protetor solar ideal

No caso dos pequenos é necessário usar produtos com ingredientes específicos da composição dos adultos.

O recomendado é que eles contenham óxido de zinco e/ou dióxido de titânio, que são substâncias contidas nos filtros físicos. “Assim é feita a proteção contra os raios solares para crianças. O ideal é que os protetores sejam hipoalergênicos e que devem constar no rótulo que são dermatologicamente testados”, reforça Meire Gonzaga, dermatologista e médico colaboradora da Pós-Graduação em Cosmiatria e Laser do Albert Einstein.

Já as as substâncias octocrileno e oxibenzona devem ser evitadas, por apresentarem toxicidade em sua composição.

Vale lembrar que crianças até seis meses de idade devem evitar o uso de protetor solar e longas exposições ao sol. “Bebês abaixo dos seis meses devem evitar a exposição excessiva ao sol, limitando a vinte minutos por dia (antes das 10h e depois das 16h). Já bebês acima dos seis meses até os dez anos devem usar filtros físicos. Após os seis anos de idade, a criança já pode usar protetor indicado para adultos”, diz Gonzaga.

Qual a quantidade ideal?

A quantidade recomendada de filtro solar aplicada na pele deve ser de dois miligramas por centímetro, o que equivale a passar uma quantidade suficiente para conseguir ver o creme na pele.

No caso de uma criança de dois anos, por exemplo, a quantidade ideal deve ser de uma colher e meia de chá, para o corpo todo. O cosmético deve ser reaplicado a cada duas horas ou toda vez que sair da água.

Roupas também protegem?

Para complementar e auxiliar na proteção contra o sol, o mais indicado é que as crianças também usem roupas específicas. De preferência peças que tenham componentes ultravioletas.

“Mesmo roupas com proteção UV devemos aplicar o protetor solar. A vestimenta é uma proteção a mais e nunca substitui o uso do protetor adequado. Quanto ao material das roupas, as com proteção UV são as melhores, mas peças normais também protegem”, diz Mouawad.

As peças feitas de nylon, seda e poliéster possuem maior fator de proteção solar do que as de algodão, viscose e linho, por exemplo.

A pediatra destaca ainda que roupas molhadas perdem metade do FPS, então, pais e responsáveis devem ficar atentos para trocar as peças ou deixar a criança debaixo do guarda-sol durante esse período. “E quanto mais escuras, maior proteção. Evite cores claras”, conclui a especialista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos