Como ensinar as crianças a serem solidárias e ajudarem o próximo

·6 min de leitura
Como ensinar seus filhos a retribuir e ajudar os outros nesta temporada de festas e além. (Foto: Getty Images)(Foto: Reprodução/ Getty Creative)
Como ensinar seus filhos a retribuir e ajudar os outros nesta temporada de festas e além. (Foto: Getty Images)

Na época de fim de ano, as crianças costumam ganhar uma avalanche de presentes. Isso pode levar os pais a se perguntarem como encontrar o equilíbrio ideal entre dar e receber. Na prática, eles podem desempenhar um papel importante ao conversar com os filhos sobre como retribuir o bem e dar o exemplo ajudando outras pessoas.

"É importante ensinar as crianças a serem solidárias a fim de estimular a generosidade e a empatia", disse Jeincy Duarte, psicóloga clínica do Child Mind Institute, ao Yahoo Vida e Estilo.

A professora e autora de livros infantis Alicia Ortego, que costuma escrever sobre gratidão e bondade, concorda: "Acho importante falar sobre isso porque é uma das muitas formas possíveis de ensinarmos as crianças a serem bondosas, gentis, prestativas, amáveis, compreensivas e generosas."

Afinal, como os pais e responsáveis podem começar a abordar essa questão? Jeincy recomenda servir como exemplo de comportamento, para que os filhos possam ver os próprios pais ajudando os outros, bem como "encontrar oportunidades de estimular a solidariedade das crianças, além de encorajar e elogiar ações positivas e comportamentos empáticos".

Leia livros quem falem sobre bondade

Jeincy afirma que as crianças mais novas podem se beneficiar da leitura de histórias ou livros adequados ao desenvolvimento e que as ensinem sobre "generosidade e solidariedade". Segundo ela, "As histórias podem estimulá-las a considerar quem pode estar precisando de ajuda, como essa pessoa pode estar se sentindo nessa situação e desenvolver a empatia." A Scholastic tem uma lista dos melhores livros sobre como tratar e ajudar os outros. A Brightly da Penguin Random House também tem uma lista de livros ilustrados que os pais podem ler com os pequenos para ensiná-los a retribuir o bem.

Comece desde cedo

As crianças são prestativas por natureza. Alicia recomenda começar com "pequenas ações", como "dar exemplos comuns de como elas podem notar que alguém ou algo precisa de atenção", por exemplo, ajudar o irmãozinho a alcançar algo em uma prateleira mais alta ou se oferecer para ajudar a professora a arrumar a sala de aula ao fim de um projeto de arte. Veja outras sugestões:

  • Compre uma planta. Escolha uma flor ou planta que demande cuidados regulares, sugere Alicia. "Você já sabe o que vai acontecer se as crianças se esquecerem de regá-la", comenta. "Assim como a flor, todos nós precisamos de alguns cuidados para viver, prosperar e ser felizes." Algumas flores fáceis de cuidar são margaridas, capuchinhas e zínias.

  • Ajude os idosos da vizinhança. "Essas pessoas não só precisam de ajuda física, como também de companhia", explica Alicia. "Se você conhecer alguém que pareça solitário, faça amizade com essa pessoa." Comece simplesmente batendo na porta dela e apresentando sua família, assando biscoitos com as crianças e levando-os a um vizinho ou oferecendo-se para ajudar em tarefas cotidianas quando necessário, como ir ao mercado.

  • Converse com as crianças na hora de dormir. "Antes de ir para a cama, converse com seus filhos", sugere Alicia. "Fale sobre todas as coisas boas e ruins que eles vivenciaram ou observaram ao longo do dia. As coisas boas os ensinarão a ser gratos. Quanto às ruins, pergunte como eles acham que poderiam ajudar nessas situações."

A professora e autora afirma que o objetivo dessas ações cotidianas é ensinar as crianças a "identificar quem precisa de ajuda e aprender a valorizar tudo o que elas já têm."

Inclua os pequenos em atos de doação

"Mesmo que algumas crianças talvez ainda sejam novas demais para comprar presentes, os pais podem, por exemplo, incluí-las no processo de criar ou escolher um presente ou item a ser ofertado a outra criança, professor, parente, irmão, alguém que precise de ajuda ou que seja menos afortunado", sugere Jeincy.

Crianças pequenas também podem ajudar a separar brinquedos ou roupas que deixaram de usar para doar a instituições de caridade locais, ou livros de que não precisam mais para hospitais infantis ou creches. "O momento de escolher esses livros é muito especial", comenta Alicia. "As crianças ficam encantadas ao saber que alguém vai ler os livros que elas tanto apreciam."

Em casa, elas também podem ajudar recolhendo alimentos da despensa para doar a pessoas carentes e decorando a embalagem que será entregue. Quando possível, leve-as com você ao distribuir as doações para que participem de toda a experiência.

Organize uma ação solidária em família

Escrevam uma carta, assem um bolo de banana ou cozinhem uma sopa caseira em família para alguém que precise, como um vizinho idoso, ou até para demonstrar afeto a um amigo, parente ou professor. "O principal objetivo é que as crianças efetivamente se dediquem a oferecer um agrado a alguém diferente", explica Alicia.

Reserve parte do orçamento para doações de caridade

Ao educar as crianças sobre como controlar a mesada, os pais podem conversar com elas sobre reservar parte do dinheiro para doações: "Uma forma de orientar as crianças sobre responsabilidade financeira é ensiná-las sobre porcentagens", afirmou a Dra. Alison Escalante na revista Psychology Today. "Por exemplo, elas podem receber 70% da mesada em mãos, 20% em uma poupança e 10% reservados para doações de caridade."

Busque oportunidades de voluntariado para crianças maiores

"Além de doar brinquedos e outros itens, as crianças mais velhas também podem ajudar a retribuir o bem se voluntariando em eventos comunitários, como campanhas locais de arrecadação de brinquedos, alimentos, roupas ou fundos", diz Jeincy. "Os pais também podem incentivar os filhos a praticar a solidariedade deixando-os escolher uma instituição de caridade para a família fazer doações."

Se essa criança for apaixonada por bichos, por exemplo, a família pode buscar oportunidades de voluntariado em abrigos de animais. Caso ela se sensibilize com a questão ambiental, pode se voluntariar para limpar um parque, praia ou rio local. Ela também pode ajudar a arrecadar fundos para uma boa causa nas redes sociais. Não sabe por onde começar? O site DoSomething.org lista várias campanhas, desde voltadas à fome até a pessoas sem-teto, nas quais os jovens podem se envolver.

Embora seja bom conversar com as crianças sobre como ajudar outras pessoas durante as festas de fim de ano, especialistas afirmam que o ideal é que os pais continuem dando o exemplo e praticando atitudes bondosas ao longo do ano todo. "Os pais têm um papel muito importante na vida dos filhos", diz Jeincy. "As crianças aprendem ao observar os outros, principalmente os próprios pais. Assim, é importante que eles projetem comportamentos generosos. Fazer o bem vale tanto para os períodos festivos quanto para o resto do ano."

A psicóloga acrescenta: "No geral, como pais ou responsáveis, os adultos estão buscando maneiras de ressaltar a importância de sermos solidários, além de ensinar que dar pode ser tão gratificante quanto receber."

Como diz Alicia: "Cada dia traz ótimas oportunidades de sermos bondosos, gentis e solidários uns com os outros."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos