Como é um orgasmo? 160 mulheres respondem

Pixabay @Berzin

Mais da METADE (55,6%) das brasileiras têm dificuldade de chegar ao orgasmo nas relações sexuais. Não, eu não tô gozando com a sua cara. A informação vem de uma pesquisa com três mil pessoas, entre 18 e 70 anos, realizada pelo Projeto de Sexualidade (Prosex) da Faculdade de Medicina da USP. Agora adivinha quantos homens sofrem o mesmo drama? Tchãrã: 3,5% [sem falha na digitação]. Por que será, hein?

Na última sexta-feira (20/10), eu quis saber se as leitoras do meu blog Pimentaria se identificavam com aquelas mulheres – 290 delas responderam anonimamente ao questionário virtual com apenas duas perguntas de múltipla escolha. Por enquanto, vou fazer a João Kleber e manter o suspense. Mais do que isso, 160 preencheram o parágrafo “Como você descreveria um orgasmo? O que sente?”. Abaixo, as definições mais recorrentes e algumas inusitadas.

CHÁ DE COGUMELO

 “Um unicórnio carregando um balde de ouro atravessando um arco íris com um duende nas costas”.

“É quase como ter tomado uma droga que deixa a mente totalmente abstrata e relaxa músculos e nervos totalmente”.

 GHOST

“A sensação mais louca e sensacional do mundo: por um momento, sinto que não estou na terra nem no meu corpo”.  

“É transcender: como se atingisse o ápice, desse uma apagadinha e voltasse pra esse plano”.

 “Uma luz me invadindo!”

TREM BALA

“É como uma montanha russa. O carrinho sobe bem devagar, chega ao ponto máximo no clímax e começa a descer. Algumas descidas são maiores que outras e, quando acaba, me sinto cansada”.

220 V

“Choques a ponto de depois doer e eu não conseguir ser tocada ali”.

“Uma eletricidade que percorre o corpo e explode nas extremidades”.

“Como uma descarga elétrica que provoca um relaxamento total”.

 ERUPÇÃO

 “Um turbilhão interno”.

“Um torpor… sangue quente correndo nas veias”.

“Parece que o coração vai estourar dentro do peito”.

“É algo Poderoso! Bombástico!”.

DOS DEUSES

“Uma leveza como se flutuasse”.

“Prazer muito forte. Como se eu fosse até o céu e despencasse de uma vez”.

ETÉREO

“Parece que toda a energia do seu corpo está concentrada no chacra básico e, de repente, inunda todo o resto”.

“Clímax sensorial, um êxtase de sensações muito prazerosas que funde os corpos físico, emocional e mental”.

 COMÉDIA DRAMÁTICA

“É rápido, porém intenso. Dou risada, choro e meu corpo parece formigar. Em seguida, desfaleço. É esquisito!”

TOMOGRAFIA

 Minha vagina contrai várias vezes como se fosse expulsar algo”.

“Vontade de fazer xixi, tremer na parte interna da coxa e bunda, às vezes câimbra nos pés”.

 “Rigidez muscular, tremedeira nas pernas e depois sensação de relaxamento”.

 “A respiração e o coração aceleram, sinto tipo espasmos e calor na área genital que vão se espalhando, às vezes sinto as extremidades do corpo formigarem e também libero uma urina bem menos amarelada e de pouco/quase nenhum odor…”. [Não é urina! É muita lubrificação ou ejaculação feminina].

 ~XATIADA~

 “É depressivo, sinto um vazio enorme assim que acaba, tipo uma angústia sabe?!”.

“Pra mim o mais prazeroso é o pré… o “tô quase lá”. Meus orgasmos sempre são rápidos, tipo, demora pra chegar e passa rápido”.

 PÉ NO CHÃO

 “Fico ouvindo os relatos de amigas e mulheres que conheço e penso: “Nossa, mas eu não sinto esse fim do mundo todo kkķkkk Será que nunca tive um orgasmo?!”

 > No próximo post, explico o que acontece no nosso corpo durante o orgasmo e desvendo alguns mitos.

*Nathalia Ziemkiewicz, autora desta coluna, é jornalista pós-graduada em educação sexual e idealizadora do blog Pimentaria