Como é estar casado com alguém que sofre de esquizofrenia

Mãos unidas em forma de coração por trás do vidro distorcido

Como é estar casado com alguém que sofre de esquizofrenia?

Acredito que se possa dizer que é como qualquer outro casamento. Tem seus altos e baixos, seus dias bons e ruins. Na maioria das vezes, existe (e requer) muito amor e compaixão.

Como qualquer casamento, a jornada não é fácil, mas acredite: é gratificante. Minha esposa continua sendo a minha esposa, como ela sempre será. Entre as internações no hospital e os episódios psicóticos, que estão ficando cada vez mais esporádicos, há momentos com tanto poder, amor e devoção como em qualquer outro casamento. Alguns casais precisam lidar com problemas financeiros; nós, com uma doença mental, e por mim, tudo bem.

O diagnóstico da minha esposa me permite ser útil e cuidar dela de uma maneira que é especial para o nosso casamento e nossa situação. Eu converso com ela sobre a psicose. Eu a ajudo a controlar os medicamentos, as consultas e tudo mais. Também a levo ao cinema, porque eu gosto (mesmo que seja para assistir um filme romântico). Gosto de levá-la para passear de carro e passar algum tempo com as nossas famílias. Nosso casamento é tão único quanto qualquer outro.

É claro que pode ser estressante, mas o estresse pode ser causado por praticamente qualquer coisa que eu faça na vida. Nós adoramos ir ao zoológico ou sair para jantar. Para ser franco, a única diferença real é que, às vezes, precisamos tomar mais precauções. Por exemplo, já tivemos que sair de restaurantes ou cinemas porque o barulho está alto demais para a minha esposa, devido à esquizofrenia. E temos que estar preparados para a possibilidade de que algo possa desencadear um episódio de psicose. Mas, na maioria das vezes, é tudo tão único quanto em qualquer outro relacionamento. Nós vivemos, rimos e amamos nesta jornada conhecida como vida.

Será que qualquer pessoa consegue viver em um casamento que envolva uma “deficiência” (deficiência entre aspas, pois considero essa palavra deturpada, mas deixo a explicação para outro dia)? Não, cada um lida com esse tipo de coisa de maneira diferente. Mas, para nós dois, funciona. Se você estiver verdadeiramente apaixonado por alguém e disposto a superar qualquer dificuldade para serem felizes juntos, então vá em frente.

Marlin Corbett

The Mighty