Como andam as renovações de Cazares, Jemerson e Otero no Corinthians

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Jemerson só jogou quatro partidas pelo Corinthians e se recupera de lesão (Rodrigo Coca/Corinthians)
Jemerson só jogou quatro partidas pelo Corinthians e se recupera de lesão (Rodrigo Coca/Corinthians)

O Corinthians vai contratar poucos reforços em 2021, preocupado com suas dificuldades financeiras. Até por isso, renovar com Cazares, Jemerson e Otero virou prioridade para os torcedores. Os vínculos do trio terminam na metade do ano e as negociações já começaram.

Cazares deixou o Atlético-MG, onde ganhava R$ 500 mil mensais, para faturar R$ 380 mil por mês no Corinthians. Agora, para estender seu contrato, o equatoriano exige uma compensação pelos meses de salário mais baixo. E o presidente Duílio Monteiro Alves já concordou em reajustá-lo.

Otero é outro que ganha na casa dos R$ 400 mil por mês no Parque São Jorge. Mas, ao contrário de Cazares, não deve ter aumento. A avaliação interna é de que ele tem utilidade no elenco, mas menos do que Cazares.

Já Jemerson vive a situação mais complicada. Em entrevista a Alexandre Praetzel no Yahoo, o diretor de futebol Roberto de Andrade assegurou que as cifras para a manutenção do zagueiro estão distantes daquilo que o clube pode pagar.

Vale lembrar que Jemerson havia sido contratado em novembro e vai receber do Corinthians R$ 4,5 milhões por um contato até junho, ou seja, cerca de R$ 700 mil mensais. Nos tempos de Monaco, seus vencimentos eram muito superiores.

O Corinthians já deixou claro que não ultrapassará os R$ 800 mil mensais a Jemerson - tal valor é o teto salarial no Timão. O goleiro Cássio, o lateral-direito Fagner e o meia Luan estão entre aqueles com salário top.