5 maneiras de ajudar alguém com depressão ou com pensamentos suicidas

É possível ajudar aqueles que estão passando por crises depressivas ou pensando em suicídio (Foto: Getty Creative)

Depressão é assunto sério - e uma das principais causas do suicídio no mundo. E por mais que pareça difícil saber o que fazer diante de alguém que não vê mais sentido na vida, saiba: você pode, sim, saber como ajudar alguém com depressão ou pensamentos suicidas.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e do Desenvolvimento Humano, estima-se que em 2018 entre 5 a 9 mortes por cada 100 mil habitantes no Brasil tenham sido por suicídio. Além do mais, para cada adulto que comete suicídio outros 20 possuem algum tipo de ideação ou atentam contra a própria vida. Mas o importante, aqui, não são os números, mas a possibilidade de fazer com que essas pessoas mudem de ideia.

Leia também

Depressão e suicídio ainda são tabus, porém, é justamente essa dificuldade de diálogo que tornam os números tão alarmantes. Por isso, hoje vamos falar sobre como você pode agir e fazer a diferença na vida de alguém, de uma forma positiva e saudável.

Preste atenção aos sinais

Segundo o Ministério da Saúde, mudanças bruscas de humor, falar abertamente sobre a própria morte, se afastar dos amigos, familiares ou das coisas que gosta estão entre alguns dos sintomas de que uma pessoa que está em um estado depressivo profundo e pensando em cometer suicídio. Ter interesse pelos outros à sua volta, pelas pessoas que você gosta, deve ser uma ação rotineira, mas é importante manter os olhos ainda mais abertos se elas começarem a apresentar esses sinais.

Converse e não julgue

Começar o diálogo é a melhor forma de fazer a pessoa que está pensando em suicídio ou em depressão entender que ela não está sozinha. Mas é preciso sensibilidade. Fique atento a um momento em que você sente que pode perguntar como ela está, se está passando por alguma coisa e se quer desabafar. E, em seguida, ouça. Escute sem julgar e deixe a pessoa falar o que tem na mente. Esse pode ser o primeiro passo para a cura e para a mudança de ideia.

Se você sentir que é pertinente, e se perceber que a pessoa não se sente confortável em falar diretamente com você, mas quer conversar com alguém, você pode indicar o 188, número do CVV, o Centro de Valorização da Vida. A ligação é gratuita, sigilosa e pode ser feita a qualquer hora do dia, sete dias por semana.

Demonstre apoio

Falar frases do tipo "Isso é frescura"; "É tudo coisa da sua cabeça" ou "Tem gente em situação pior que a sua" não ajuda. Na verdade, só reforçam uma ideia de que depressão e suicídio são assuntos proibidos e que a pessoa que passa por sensações como essa são "fracas". Isso não é verdade. Mais do que qualquer coisa, mostre apoio, que você se importa com aquela pessoa e que quer vê-la bem. Se possível, encoraje-a a fazer um check up, vá com ela ao médico, se ela sentir medo de ir sozinha, e tenha paciência com ela. Cada pessoa tem o seu próprio tempo na busca por uma solução do que sente.

Demonstrar apoio é essencial para que a pessoa com depressão se sinta acolhida (Gif: Thoka Maer / Giphy)

Fique próximo

Se você perceber que o risco de suicídio é iminente, não deixe a pessoa desacompanhada. Nesse caso, faça uma varredura nos arredores para evitar que ela encontre meios de atacar a própria vida (tire de perto objetos cortantes, como facas, pesticidas, armas de fogo e medicamentos) e busque ajuda. Você pode tanto procurar um profissional capacitado para saber como agir nessa situação como ter em mãos o telefone do SAMU (192) para casos de emergência.

Cuide de você mesmo

Acima de qualquer coisa, saiba: você só vai poder ajudar alguém se estiver bem também. Ou seja, cuide de você mesmo. Você pode fazer isso das seguintes maneiras:

  • Seja honesto: não tenha medo de falar sobre o que sente quando a pessoa com depressão desconta as sensações dela em você ou diz algo que te magoa. Mas faça isso com gentileza e paciência.

  • Imponha limites: por mais que você queira ajudar, não dá para cuidar de alguém 24 horas por dia sem que isso tenha um efeito no seu emocional. Se coloque disponível, mas saiba até onde você consegue ir e seja firme.

  • Siga a sua rotina: é importante que você continue seguindo em frente com os seus compromissos e com o seu dia a dia. Por mais que cuidar de alguém passando por uma fase complicada exija um comprometimento de tempo, não deixe que isso domine a sua agenda.

  • Busque ajuda: é um sinal de cuidado com o outro quando você cuida de si mesmo. Se você sente que precisa desabafar com alguém, conversar ou pedir ajuda, procure uma pessoa de confiança ou um profissional capacitado.