Agendar sexo é uma boa para relação? Descubra

·3 minuto de leitura

Depois dos dois primeiros anos de relacionamento, a maioria dos casais se vê diante de uma queda do prazer, e vivem um grande paradoxo - enquanto o amor cresce, o tesão diminui.

Isso ocorre, quando o casal entra na rotina, e as novidades, mistérios e a imprevisibilidade não fazem mais parte. A intimidade se torna traiçoeira e pode fazer com que as pessoas se sintam confortáveis para o adiamento do sexo para os próximos dias.

Para que isso não se torne um grande problema no futuro é preciso se atentar para continuar desejando o parceiro. E isso, muitas vezes pode ser uma tarefa que exige sair da zona de conforto.

Leia também

Engana-se quem acredita que o sexo espontâneo é o que pode salvar da mesmice, pois de acordo com os especialistas de “Inteligência Erótica”, nós ficamos estagnados, pois, acabamos não planejamos essa quebra na rotina.

Happy young couple in love hugging, laughing, drinking wine, enjoying talking, having fun together celebrating Valentines day dining at home, having romantic dinner date with candles sitting at table.
Entenda o que seria agendamento do sexo (foto: reprodução Getty creative)

Entenda o que seria agendamento de sexo

Quando os sexólogos recomendam agendar o sexo, não significa que o casal literalmente irá estabelecer dia e horário para o momento. Mas, sim organizar um ambiente propício que irá aumentar a vontade para ter a relação.

Sair para comer, assistir um filme no cinema, tomar um banho juntos ou ir ao motel - são uma das formas que podem ajudar a estimular o cérebro e deixar convidativo para o sexo. É importante deixar o ambiente leve, sem preocupações, distrações ou desculpas.

De acordo com um estudo da Universidade de Toronto feita com mais de 2 mil voluntários, o sexo que possuía mais planejamento eram lembrados pela maior intensidade e comprometimento do parceiro.

Ou seja, os casais que possuíam objetivos em comum na construção do clímax, estavam mais preparados para sempre deixarem a chama acesa do sexo.

Quantas vezes um casal deve fazer sexo?

Uma das perguntas mais frequentes dos casais para terapeutas sexuais e de relacionamentos é se estão fazendo sexo com uma frequência normal em relação a outros casais.

Mais importante do que a frequência do sexo é o grau de satisfação dos casais com a vida sexual. Menos sexo não significa menos amor, felicidade e realização, especialmente para os casais que estão juntos há muito tempo.

Para eles, muitas vezes a companhia e a confiança mútua é mais importante do que fazer sexo selvagem o tempo todo.

Orgasmo feminino também é uma dúvida frequente, como saber se você já teve um?

De acordo com uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), 55,6% das mulheres não sabe identificar quando teve um orgasmo.

Uma mulher que não tem uma boa relação com seu corpo, se sente insegura no sexo, ou que não tem intimidade com o parceiro, está infeliz no relacionamento, ou até que sente dor durante a relação pode ter dificuldade para ter um orgasmo. Traumas sexuais também pode ser um motivo.

Para identificar se a mulher está chegando ou chegou lá existem alguns sinais que o corpo manda.

São eles:

  • Respiração e batimentos cardíacos acelerados

  • Mamilos mais enrijecidos

  • Arrepios

  • Vulpa pulsando

  • Clitóris hipersensível

  • Calor na região da vulva

  • Tremores pelo corpo

  • Contrações rítmicas e involuntárias no canal vaginal

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos