Comer a placenta após dar à luz "beira o canibalismo" e pode causar infecções, diz ginecologista

Reprodução/Instagram @kimkardashian

Consumir a placenta se tornou popular entre as celebridades e Kim Kardashian foi uma das que chamou atenção para o assunto colocando o órgão em cápsulas, acreditando fazer bem à saúde. Um estudo recente publicado no American Journal of Obstetrics and Gynaecology mostrou que o número de novas mães inglesas e americanas que querem levar a placenta para casa aumentou após algumas mães afirmarem que devido aos altos níveis de nutrientes e hormônios, ela ajuda na produção de leite e dá disposição.

Mas se você estava pensando em aderir este hábito, pense novamente. Segundo o ginecologista Alex Farr, da Universidade Médica de Viena, ingerir a placenta pode representar risco de infecções e os benefícios apontados são apenas mitos.

Reprodução/Twitter @KimKardashian

“Medicamente falando, a placenta é um órgão sem aproveitamento. Já que ela é parte do recém-nascido, ingeri-la beira o canibalismo. Os supostos nutrientes como ferro, selênio e zinco, não estão presentes em concentrações suficientes”, explica.

Uma americana contraiu uma infecção no sangue após consumir cápsulas com sua placenta por conta de um grupo de bactérias encontrado nelas. O caso fez o Departamento de Saúde dos EUA alertarem a população sobre o risco dessa prática.