Começa julgamento de abuso sexual de R. Kelly

·2 minuto de leitura

O esperado julgamento de abuso sexual de R. Kelly começou formalmente nesta quarta-feira (18) com as alegações das partes em Nova York, onde o astro do R&B enfrenta uma série de acusações, incluindo conspiração e exploração sexual de um menor.

A acusação e a defesa devem fazer suas declarações iniciais em um tribunal federal no Brooklyn, no julgamento atrasado por mais de um ano pela pandemia.

Kelly, de 54 anos, também é acusado de sequestro, suborno e trabalho forçado. O músico nega as acusações, que vão de 1994 a 2018, mas pode pegar entre 10 anos e prisão perpétua se for condenado por todas elas.

Por décadas, Robert Sylvester Kelly, seu nome verdadeiro, enfrentou acusações incluindo pornografia infantil, sexo com menores, exploração de um culto sexual e agressão sexual.

Mas, apesar da grande quantidade de denúncias perturbadoras e de vários acordos extrajudiciais, o cantor conhecido por sucessos como "I Believe I Can Fly", "Bump 'N Grind" e "Ignition (Remix)" mantém um exército de fãs leais e continuou em turnê ao redor do mundo.

Sua força começou a desmoronar em janeiro de 2019, porém, após o lançamento da explosiva série "Surviving R. Kelly", que revisitou a história do astro do R&B.

Em fevereiro de 2019, os promotores do estado de Chicago apresentaram contra ele dez acusações de abuso sexual agravado contra quatro mulheres. A mais jovem delas tinha 14 anos no momento dos supostos crimes, que teriam ocorrido de 1998 a 2010.

Vários meses depois, os promotores federais de Illinois indiciaram-no por quatro acusações de pornografia infantil, e outras cinco, por incitar uma menor a se envolver em atividades sexuais delitivas.

O julgamento de Nova York é o primeiro a colocar Kelly para depor sobre a série de acusações.

"Agora, finalmente, depois de quase duas décadas, as pessoas estão se manifestando e eu sou humildemente grata por isso", disse Jonjelyn Savage, mãe de Joycelyn Savage, uma ex-namorada de Kelly que afirma ter sido abusada por ele.

A acusação de Nova York detalha denúncias de que Kelly operava uma rede criminosa que recrutava e preparava mulheres jovens, de forma sistemática, para fazer sexo com ele.

Os advogados de Kelly devem alegar que as vítimas eram groupies que consentiram com o sexo, até que se sentiram ofendidas e mudaram sua história.

O julgamento vai durar um mês e um júri de sete homens e cinco mulheres decidirá o destino de Kelly.

Em 2008, o cantor foi absolvido das acusações de pornografia infantil em Chicago.

pdh/ft/lm/rsr/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos