Com Iván e Patrick no topo, "Elite" está vivíssima e vai te (re)conquistar

·4 min de leitura
Patrick e Iván em uma das melhores cenas da nova temporada de
Patrick e Iván em uma das melhores cenas da nova temporada de "Elite" (Foto: divulgação/Netflix)

A quinta temporada de "Elite" finalmente chegou à Netflix e, após os altos e muitos baixos no ano passado, recuperou o fôlego, acertou o ritmo e mostrou aos fãs que valeu a pena não desistir de Samuel, Rebeka e companhia. Por outro lado, algumas questões apontadas pelo público há tempos, como a falta de pessoas pretas no elenco e o descaso com os personagens da primeira geração, ainda incomodam. Abaixo, comentamos — com spoilers! — os destaques da vez:

Iván, Patrick e Ari

O que é isso, o Casos de Família? Do nada, Iván se envolve com Ari (irmã de Patrick) e Patrick se envolve com Cruz (pai de Iván), ao ponto de a gente não saber se os dois realmente se gostam e ficarão juntos ou se tomarão rumos completamente diferentes. Mas, quando #Patrivan acontece de fato, é simplesmente mágico! O casal têm a química de milhões que a série somente conseguiu entregar com Carla e Samuel. Foi tudo tão bem construído, com calma e atuações impecáveis, que a primeira cena de sexo deles me fez chorar. Hahaha! Eu só espero que, pelo menos agora, a gente possa ter um minuto de paz e ver um final feliz, daqueles bem fan service, sabe? E mais tempo de tela para os nossos reizinhos porque, sendo bem honesto, eles são o principal motivo para darmos play em "Elite" em 2023.

Performance de André Lamoglia em Elite 5 é motivo de orgulho para o Brasil (Foto: divulgação/Netflix)
Performance de André Lamoglia em "Elite" é motivo de orgulho para o Brasil (Foto: divulgação/Netflix)

Rebeka e Mencía

Donas da quarta temporada, aqui, elas perdem espaço e se perdem uma da outra. Ainda temos momentos fofos e que fazem a gente shippar #Menbeka, porém Rebe se dá conta de que é melhor sozinha e coloca um ponto final (?) na relação — provavelmente, é o começo do fim da personagem, que não deve voltar na sexta temporada, apenas para um especial (palpite meu, tá?). Só nos resta torcer por um desfecho melhor trabalhado.

Cayetana

Que jornada, minha amiga... Que jornada! Com um dos arcos mais incríveis, Caye sai da zona de conforto ao ser demitida de Las Encinas, resgatando o sonho de trabalhar com moda, e dá uma nova chance ao amor com Felipe, o boy que ela conhece em um dos últimos episódios de final de ano. Confesso que fiquei aliviado por ela, no fim, deixar Philippe no passado.

Philippe e Isadora

Falando no príncipe, esta realmente é uma história que desde o começo não me desce. Menos ainda quando o passado do personagem é revelado e ele faz o que faz com Caye. É muito perigoso tentar redimir um abusador e não curti como "Elite" tentou fazer isso, sem grandes consequências e ainda usando o estupro coletivo de Isadora para torná-lo menos detestável. Demorou para ele perder tudo, ser preso e sair da série.

Por outro lado, eu tinha expectativas altíssimas para a chegada de Isadora. Ela serve beleza, looks e aquela vibe mean girl que amamos, sim, só que o fato de já começar 100% "cadelinha" do Philippe (outra coisa que acontece do nada!) me irritou demais. Acredito que, assim como rolou com Patrick, ela será melhor desenvolvida na próxima temporada, ainda mais levando em conta essa reta final superpesada e o pouco que soubemos sobre os pais dela.

Isadora tem potencial para ser uma das melhores personagens de Elite 6 (Foto: Divulgação/Netflix)
Isadora tem potencial para ser uma das melhores personagens da sexta temporada de "Elite" (Foto: Divulgação/Netflix)

Samuel

É um dos personagens mais prejudicados pelo roteiro desde a saída de Carla (no caso, Ester Expósito). Em busca melhores condições de vida e da família "perfeita" que nunca teve, ele se deixa enganar por Benjamín (diretor de Las Encinas e pai de Ari, Patrick e Mencía) e toma uma série de decisões erradas que podem ter resultado em sua morte. Particularmente, não acho que ele morreu e, uma vez Itzan Escamilla confirmou que sairá de "Elite", Samu também deve ganhar um especial digno do protagonista da primeira geração. Já basta terem jogado no lixo praticamente tudo que ele viveu e amadureceu ao longo das três primeiras temporadas.

Omar e Bilal

Abandonado por Ander e ignorado por Patrick, Omar só não ficou mais avulso do que o próprio Bilal, que literalmente surge e some do nada. Juro. É um absurdo que, em meio a tantas críticas pela falta de personagens pretos, os roteiristas da série simplesmente joguem um jovem preto na história, como um ladrão (!!!) e possível novo amor de Omar, e depois o façam desaparecer sem mais nem menos. Falta de respeito em tantos níveis que eu só consigo lamentar e pedir por um especial que minimamente repare tantos vacilos. Os dois merecem mais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos