Com esclerose múltipla, Selma Blair fala da importância do uso da bengala

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A atriz americana Selma Blair, 48, compartilhou no Instagram uma foto com sua bengala e publicou um texto sobre a relação com o bastão e a importância dele em sua vida. Ela tem esclerose múltipla e precisa de auxílio para andar. No texto, Blair diz que não sabia até que ponto a bengala havia se tornado uma parte dela até se afastar do bastão e se perguntar porque estava com tanta dificuldade. "O cabo de madeira, o reconhecimento instantâneo em meu cérebro enquanto suavizava minha postura", escreveu a atriz. A atriz disse ainda que ama suas bengalas assim como peças elegantes. "Honestamente, quando tenho horas ou dias com mais certeza em meu entorno ou equilíbrio, sinto falta da minha bengala. É uma extensão natural agora. Um parceiro de dança facilitando as transições", diz. Em outubro de 2018, a atriz americana Selma Blair revelou que sofre de esclerose múltipla. Ela apareceu em uma foto com o cabelo raspado anunciando que uma parte de seu intenso tratamento chegou ao fim. A atriz conhecida por seus papéis em filmes como "Legalmente Loira" e "Segundas Intenções" ficou um tempo no hospital. A doença crônica do sistema nervoso central provoca fadiga, dor e problemas de coordenação. "Hoje é um marco. Fui liberada do cuidado de uma grande equipe de enfermeiras e de um visionário 'Dr. Who" que acredita na minha cura tanto quanto eu", escreveu a atriz no Instagram. "É um processo. E continua sendo um processo. Serei imunodeficiente pelos próximos três meses, ao menos", disse ela à época. Blair afirmou que revelou seu diagnóstico para compartilhar sua gratidão à figurinista Alissa Swanson, que "cuidadosamente coloca minhas pernas nas calças, passa as camisas pela minha cabeça, abotoa meus casacos e oferece o ombro para me estabilizar". Blair também agradeceu a amigos famosos, incluindo a atriz Sarah Michelle Gellar, pelo apoio. "Quero brincar com o meu filho de novo. Quero caminhar pela rua e montar meu cavalo. Tenho EM e estou bem. Mas se você me encontrar deixando tudo cair pela rua, sinta-se à vontade para me ajudar a pegar. Sozinha, eu levo um dia inteiro".