Com "Doutor Estranho", "Top Gun "e "Avatar", Hollywood quer retomar protagonismo

"Top Gun Maverick" conta com o retorno de Tom Cruise três décadas após o filme original. (Foto: Reprodução/YouTube)
"Top Gun Maverick" conta com o retorno de Tom Cruise três décadas após o filme original. (Foto: Reprodução/YouTube)

A estreia de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura não será somente uma das maiores bilheterias do ano, mas também uma das mais emblemáticas, pois o longa escancara o desejo da Disney em reforçar o cinema como o lugar sagrado do entretenimento - e que o 3D é a forma mais completa de aproveitá-lo. E sem entrar no mérito se o efeito é interessante ou não, é inegável que ele é parte essencial da visão estética de Sam Raimi para o filme.

A viagem pelo Multiverso sugerida pelo cineasta abraça por completo a ideia de imergir o espectador em um quadro cheio de camadas, objetos jogados na tela e, sem vergonha alguma, inúmeros sustos repentinos e potencializados pela trilha incrível de Danny Elfman. Enquanto o primeiro filme traduzia a psicodelia com imagens perturbadoras, Raimi opta pelo horror trash e cria uma aventura peculiar - e o 3D se torna uma ferramenta ideal para isso.

E a aposta não se limita à Marvel, pois a Disney escolheu esta estreia para divulgar o mais importante lançamento: "Avatar 2: O Caminho da Água". A sequência da obra de James Cameron vai renovar a ideia do 3D nos cinemas, incluirá 4K em 3D, além de explorar a ideia da transição entre a superfície e o fundo do oceano, que é o foco de Cameron, um obcecado pelo fundo do mar - e de lambuja ele ainda vai colocar exibições em 48fps, algo que poucos cinemas conseguem executar, mas que traz um efeito ainda mais realista que o tradicional 24fps.

Se somarmos a essa iniciativa da Disney o recuo da Warner nos lançamentos no HBO Max e o lançamento mundial e massivo de "Top Gun", a menina dos olhos da Paramount, dá pra dizer que as principais cartas de Hollywood para a volta do cinemão estão na mesa. E não é segredo ou algo dito por trás das câmeras! Afinal, Kevin Feige e Victoria Alonso só falavam em "comprar ingresso" nas entrevistas de Doutor Estranho, e Tom Cruise vai para Cannes mostrar como seu novo blockbuster é arte para tela grande. Resta saber como o público vai responder a esses pedidos e se o cinema reagirá à volta da pandemia da forma que os estúdios esperam.

Leia também:

Sequência quase esquecida, "Top Gun: Maverick" relembra experiência do cinema pré-streaming

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos