Com críticas de internautas, Alexandre de Moraes toma posse como ministro do TSE

Carolina Brígido
Reunião de posse de Alexandre de Moraes

BRASÍLIA — O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes tomou posse nesta terça-feira como integrante do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em solenidade virtual, transmitida pela internet. Estavam presentes, à distância, o presidente Jair Bolsonaro; os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), ministros de governo, integrantes do TSE e o procurador-geral da República, Augusto Aras. O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, afirmou que a presença de todos na videoconferência era uma prova de que os Poderes convivem em harmonia no Brasil.

— Esta mesa é prova viva da independência e harmonia entre os Poderes, todos aqui reunidos fraternalmente, o amor ao Brasil, o amor à democracia e o amor à Justiça nos une a todos, acima de qualquer divergência eventual — disse Barroso.

Ao lado da transmissão, o TSE disponibilizou um chat onde os interessados no evento podiam mandar mensagens. Foram registradas várias críticas a Moraes. O ministro incomodou o Palácio do Planalto na semana passada, quando determinou que a Polícia Federal realizasse busca e apreensão em endereços ligados a blogueiros, influenciadores digitais e apoiadores de Bolsonaro. Nesta segunda-feira, a PF intimou investigados a prestarem depoimento, também por ordem de Moraes. O ministro é relator de um inquérito que apura notícias falsas e ataques a ministros do Supremo.

“Ministro, tem gente querendo o acesso ao inquérito das fake news”, disse um internauta. “Posse do ministro que age ilegalmente? Posse do ministro que fere acordos internacionais de Direitos Humanos... Que sucesso, que credibilidade, TSE”, afirmou outro. Um terceiro completou: “Sinto vergonha pela forma que o ministro Alexandre de Moraes está conduzindo esse inquérito da chamada "fake news". Reduzindo o STF a uma corte policialesca. O STF está em queda livre infelizmente!”

Uma funcionária do TSE ficou responsável por moderar a discussão e alertou: “Lembramos aos usuários que as mensagens em desacordo com o termo de uso serão excluídas”. Um participante protestou: “Oi? Vou ser preso?” Outra pessoa completou: “Vocês tem que aprender a diferença de crítica e difamação ou crime de ódio”. A moderadora da conversa chegou a excluir algumas mensagens e foi chamada de “adminazi”.

Havia também, em menor volume, elogios ao ministro: “Grande Alexandre! A lei é para todos”, escreveu um usuário. “Melhor Ministro da corte”, comentou outro.

No breve discurso proferido, Barroso elogiou a biografia do colega e disse que Moraes tinha “uma vida completa e sem mácula”. O presidente do TSE disse, ainda, que “este ano vai ser dureza, pelos encargos que temos pela frente”, referindo-se à realização de eleições municipais durante a pandemia.

“Pelas palavras do Ministro Barroso, o Ministro Alexandre de Moraes é um cidadão tão competente! Deveria fazer mais pelo povo e pelo Brasil, defendendo os mais fracos. Como o povo precisa deles!”, escreveu um internauta.

Além das eleições, o TSE tem outros desafios pela frente. Aguardam julgamento no tribunal oito ações que pedem a cassação do mandato de Bolsonaro e do vice, Hamilton Mourão, com base em acusações de irregularidades na campanha eleitoral de 2018. O presidente do tribunal, Luís Roberto Barroso, que também integra o STF, deve pautar o julgamento de duas dessas ações para os próximos dias.