Com Covid, sambista Nelson Sargento tem piora e é intubado

·2 minuto de leitura
**ARQUIVO** PARATY, RJ, 27.07.2017 – O sambista Nelson Sargento na Casa Folha, em Paraty. (Foto: Marcus Leoni/Folhapress)
**ARQUIVO** PARATY, RJ, 27.07.2017 – O sambista Nelson Sargento na Casa Folha, em Paraty. (Foto: Marcus Leoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O sambista Nelson Sargento, 96, foi intubado em um hospital no Rio após ser internado por receber diagnóstico de Covid-19. A família informou, por um comunicado no Instagram, que "Evonete Mattos (esposa) e Leo Mattos (filho) de Nelson Sargento autorizaram sua intubação para dar prosseguimento ao tratamento contra a Covid."

A família de Sargento também pede privacidade e orações "nesse momento difícil". O sambista foi hospitalizado na sexta (21) em uma unidade do Inca (Instituto Nacional do Câncer), no Rio.

A escolha do hospital, de acordo com a assessoria de imprensa, foi uma medida de prevenção adotada pelos médicos por causa do histórico de Sargento, que teve um câncer de próstata anos atrás. Sargento recebeu a primeira dose da vacina Coronavac contra a Covid no dia 31 de janeiro, e a segunda dose em fevereiro.

Em comunicado, a assessoria do Inca informou que "Nelson Matos está em estado grave e inspira cuidados na Unidade de Terapia Intensiva. O paciente foi transferido para a UTI no último sábado (22), apresentando piora do padrão ventilatório e hipertensão, assim respirando com auxílio de máscara de oxigênio."

"O Instituto ainda esclarece que o paciente foi internado no último dia 20, com quadro de desidratação, anorexia e significativa queda do estado geral. Ao chegar na unidade, foi realizado o teste de covid-19, que apontou positivo", continuou o comunicado.

Herdeiro da geração de Cartola (1908-80) e Carlos Cachaça (1902-99), Nelson Sargento é o autor de "Cântico à Natureza" (1955), considerado um dos maiores sambas-enredo da Mangueira. "Falso Moralista", "Berço de Bamba", "Falso Amor Sincero" e "Agoniza Mas Não Morre" são outros sambas marcantes de Sargento.

Também artista plástico, Sargento começou pintando paredes. “Tinhas umas tábuas ali, pintei algum desenho nelas, não me lembro qual, e gostaram", afirmou ele quando foi homenageado no Rock in Rio, em 2019.

Na ocasião, o festival apresentou uma mostra de 14 de seus quadros, que trazem motivos carnavalescos e barracos da Mangueira, o morro onde foi morar aos dez anos de idade. O sambista também se apresentou no evento com a roda de samba Festa da Raça.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos