Com Ancine esvaziada, Bolsonaro nomeia diretora interina

VICTORIA AZEVEDO
BRASÍLIA, DF, 15.01.2020 – JAIR-BOLSONARO-DF: O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado do ministro Bento de Albuquerque (Minas e Energia) e do general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral de Itaiú Binacional, durante entrevista na entrada do Ministério de Minas e Energia, em Brasília (DF), nesta quarta-feira (15). (Foto: Andre Coelho/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Ancine (Agência Nacional do Cinema) passará a ter dois diretores. O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que designou, a partir de lista tríplice, a servidora Luana Rufino para compor a lista de substituição da diretoria colegiada da agência, como primeira substituta.

O decreto foi publicado nesta quarta (15) no Diário Oficial da União.

Isso significa que Luana ocupará uma vaga, de maneira interina, na diretoria colegiada até que novos nomes aprovados pelo Senado tomem posse. A partir da semana que vem, as deliberações da Ancine serão tomadas por dois diretores.

Os nomes do pastor e colunista social Edilásio Barra, o Tutuca, e da diretora do Festival Internacional de Cinema Cristão, Veronica Brendler, já foram encaminhados à Casa Civil. Um terceiro nome deve ser indicado à diretoria da Ancine ainda nesta semana.

Desde outubro de 2019, com o fim do mandato de Débora Ivanov, a Ancine tem operado com somente um diretor, Alex Braga.