Colson Whitehead e Benjamin Moser vencem prêmio Pulitzer

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O escritor Colson Whitehead, que já havia sido premiado pelo seu romance "Underground Railroad", foi anunciado, nesta segunda-feira (4), como o ganhador de mais um prêmio Pulitzer, dessa vez pelo livro "Reformatório Níquel" - no qual, por meio da história de um reformatório para menores infratores, discute a segregação racial nos Estados Unidos.

O júri do Pulitzer descreveu o romance como "uma narrativa poderosa de perseverança, dignidade e redenção humanas". Ambos os livro do autor são publicados no país pel HarperCollins Brasil e estão em catálogo.

O escritor e pesquisador Benjamin Moser, por sua vez, foi eleito pelo livro "Sontag - Vida e Obra" (Companhia das Letras), biografia de Susan Sontag, lançada no Brasil no ano passado. A obra é fruto de sete anos de entrevistas e pesquisas nos arquivos deixados pela intelectual.

Os jurados do Pulitzer disseram que a biografia de Moser captura a inteligência e a humanidade de Sontag, bem como seus "vícios, ambiguidade sexual e entusiasmo volátil".

Na categoria poesia, o Pulitzer elegey "The Tradition", de Jericho Brown, não publicado no Brasil. Já as obras de não ficção eleitas foram "The End of the Myth", de Greg Grandin, em "The Undying", de Anne Boyer.

A obra de dramaturgia eleita foi "A Strange Loop", de Michael R. Jackson.