'Coisas do mundo civilizado chegarão à região Norte', diz Bolsonaro sobre Programa Mais Luz

João de Mari
·2 minuto de leitura
Bolsonaro assinou uma portaria que coloca a empresa Eletronorte como responsável por executar o Programa Mais Luz para na região do Amapá (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Bolsonaro assinou uma portaria que coloca a empresa Eletronorte como responsável por executar o Programa Mais Luz para na região do Amapá (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Durante cerimônia em que escolheu a empresa que será responsável por levar energia elétrica para áreas remotas da Amazônia Legal, nesta quarta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que “coisas do mundo civilizado chegarão à região Norte” do Brasil.

“Mais do que 300 mil pessoas atingidas com esta medida hoje assinada via portaria. Outras coisas do mundo civilizado chegarão a estes nossos irmãos da região Norte​", disse o presidente.

Bolsonaro referia-se ao Programa Mais Luz, que tem objetivo de levar energia limpa e renovável para 300 mil pessoas que vivem em áreas remotas da Amazônia Legal. O programa foi criado por decreto em fevereiro deste ano.

Ao lado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), Bolsonaro assinou uma portaria que coloca a empresa Eletronorte como agente executor do Programa Mais Luz na região do Amapá.

Bolsonaro ainda disse que "políticas no mínimo equivocadas e antipatriotas" impediram o Brasil de consolidar a integração do país.

Leia também

Ele mencionou sua ida à Bahia e ao Piauí, onde causou aglomerações mesmo recém-recuperado do novo coronavírus, para inaugurar obras de abastecimento e disse que "não damos valor porque temos isso em casa".

O presidente se referia a uma suposta pobreza do povo nordestino. "Para aquela gente sofrida, o sentimento que a gente tem é realmente inenarrável."

Durante o discurso no evento, Bolsonaro ainda se confundiu ao falar sobre a região amazônica.

"Agora vejo vocês, na região Amazonas, região Amazônica, levando energia elétrica, em grande parte, energia solar. Realmente, não tem preço isso para aquelas pessoas. Aí vemos que o Brasil é grande e realmente tem muitos desafios pela frente".

Além de Bolsonaro e Alcolumbre, estavam presentes na cerimônia o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente da Eletronorte, Roberto Parucker.