Como uma pandemia afeta seu cocô e como lidar com isso

Kate Bratskeir

As consequências do coronavírus já atingiram todos os aspectos de nossas vidas, desde como trabalhamos até como choramos nossos mortos e o que fazemos como diversão. Ficar em casa alterou nossas rotinas, sem sombra de dúvida. Para algumas pessoas, até nossa regularidade intestinal foi impactada pela pandemia.

Por que isso acontece? Se você notou mudanças no funcionamento do seu intestino nos últimos 2 meses, talvez não entenda o que aconteceu com essa função biológica, que geralmente funciona tão bem quanto um relógio. A verdade é que há um sem-número de fatores que podem semear o caos nessa regularidade. E, infelizmente, muitas das alterações provocadas por nosso novo estilo de vida decorrente da pandemia criaram uma tempestade perfeita, resultante em fezes imprevisíveis e desfavoráveis.

Para entender melhor por que tudo isso vem ocorrendo no banheiro, o HuffPost conversou com alguns especialistas no assunto. Veja a seguir algumas razões por que você pode estar sofrendo o que poderíamos chamar de um “cocô pandêmico”.

Sua rotina de exercícios físicos mudou

Se suas sessões de malhação foram reduzidas ou interrompidas totalmente desde o início do isolamento, saiba que não é o único nessa situação. As academias estão fechadas, e em muitos lugares do país é quase impossível sair para correr guardando uma distância aceitável das outras pessoas. A movimentação física reduzida pode afetar o funcionamento inestinal – que pode estar menos frequente.

“Há uma conexão importante entre atividade física e regularidade intestinal”, disse ao HuffPost a gastroenterologista Jean Marie Houghton, do UMass Memorial Health Care.

Houghton explicou que a atividade física tende a ativar o intestino, razão pela qual alguns corredores têm diarreia. Quando ficamos um pouco mais sedentários, algo inevitável para muitas pessoas neste momento, “tudo tende a ficar mais lento”, segundo ela.

O professor Mark Donowitz, da Escola de...

Continue a ler no HuffPost