Claudinho no São Paulo? O que dizem os dirigentes dos clubes

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Atacante Claudinho é o artilheiro do Brasileirão e deve se mudar para o RB Leipizg em julho (Ari Ferreira/Red Bull)
Atacante Claudinho é o artilheiro do Brasileirão e deve se mudar para o RB Leipizg em julho (Ari Ferreira/Red Bull)

O boato de que o São Paulo havia feito proposta para a compra de 50% dos direitos econômicos de Claudinho, do Red Bull Bragantino, encheu o torcedor tricolor de expectativa, nesta terça-feira. Mas a chance de o artilheiro do Brasileirão se mudar para o Morumbi é zero. "Não fizemos nem consulta. Não há chance. Ele custa muito", explica Julio Casares, presidente do Tricolor.

A ideia do Red Bull é negociar Claudinho com o RB Leipzig, da Alemanha, na metade do ano por pelo menos 15 milhões de euros ou R$ 97 milhões. Ou seja, ao menos se igualar à oferta, o São Paulo precisaria desembolsar R$ 43,5 milhões pela metade dos direitos do jogador. Só que a receita que o Tricolor terá para gastar com reforços durante toda a temporada é de R$ 37 milhões.

Leia também:

Um dirigente do Red Bull consultado pelo Blog também descartou qualquer possibilidade de vender Claudinho para um clube brasileiro. Em outros momentos, Atlético-MG e Flamengo quiseram entender as condições do negócio e também desistiram antes mesmo de formalizar uma proposta.

São Paulo e Red Bull Bragantino chegaram a fazer uma transação recentemente: Helinho foi emprestado ao clube de Bragança Paulista meses atrás. O Red Bull desembolsou R$ 2,6 milhões pelo empréstimo do atacante, que é titular absoluto sob o comando de Maurício Barbieri.

Para comprá-lo, o Red Bull terá de desembolsar 3 milhões de euros ou quase R$ 20 milhões. Esse movimento deve ocorrer em breve, inclusive, já que Helinho causou excelente impressão depois de mudar de clube.