Cineasta russo renuncia após autoridades desprezarem Oscar

Pavel Chukhrai no Oscar

(Reuters) - O presidente da comissão de indicações ao Oscar da Rússia renunciou, informou uma agência de notícias estatal nesta terça-feira, depois que o país decidiu não enviar um filme ao Oscar este ano.

Em uma carta contundente parcialmente publicada pela agência de notícias Tass, Pavel Chukhrai, cujo filme "O Ladrão" foi indicado ao Oscar em 1997, escreveu que a Academia de Cinema do país decidiu unilateralmente não indicar um filme sem consultá-lo.

Condenando a decisão como "ilegal", Chukhrai disse que está deixando o cargo. Outro diretor da comissão também renunciou em protesto, disse ele.

A Academia de Cinema da Rússia não disse por que não enviará um filme ao Oscar. Em sua declaração, no entanto, destacou que Chukhrai é o presidente da entidade, sem fornecer mais detalhes.

A comissão russa do Oscar decide qual filme apresentar para o prestigioso prêmio de Melhor Longa-Metragem Internacional, anteriormente conhecido como Melhor Filme de Língua Estrangeira.

A Rússia ganhou o prêmio pela última vez em 1994 com "O Sol Enganador", sobre um oficial do Exército Vermelho e sua esposa que são atingidos pelo retorno de um ex-amante durante o expurgo de Stalin em 1936.

Os dois últimos filmes russos indicados a Melhor Longa-Metragem Internacional foram "Leviatã" e "Sem Amor", em 2014 e 2017, de Andrey Zviaginstev, um diretor que aborda questões políticas em seus filmes.

(Reportagem de Gabrielle Tetrault-Farber)