Cineasta afegã diz que fará filme sobre volta do Taleban se sobreviver

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cineasta afegã Shahrbanoo Sadat, 31, contou que pretende fazer filmes sobre a volta do Taleban ao poder caso sobreviva aos acontecimentos no Afeganistão. A diretora ficou conhecida internacionalmente após ter ganho o prêmio da Quinzena dos Realizadores em Cannes por seu longa de estreia, "Lobo e Ovelha" (2016).

"Se eu sobreviver a isso e tiver a chance de fazer mais filmes, meu cinema terá mudado para sempre", afirmou em entrevista à revista The Hollywood Reporter. "Eu sinto que estou observando, estou assistindo a injustiças e algo realmente horrível, e eu só preciso salvar no meu corpo, lembrar e colocar em filmes depois, para compartilhar com o mundo. Se eu sobreviver a isso, farei filmes sobre o que aconteceu."

"Suponho que se há algo bom em toda essa confusão, é a energia criada a partir da raiva, porque as pessoas podem fazer coisas [a partir dela]", avaliou. "Eu posso fazer filmes, outros podem escrever, outras pessoas podem organizar. Há muito dessa energia e temos que fazer algo com ela."

Sadat revelou também que, assim como milhares de compatriotas, está tentando fugir do país com a família. "O problema é realmente como chegar ao aeroporto e como encontrar um avião", disse. "O primeiro posto de controle na primeira entrada do aeroporto está sob o controle do Taleban. E há muitos pontos de controle no caminho para o aeroporto."

Para passar, é preciso ter um documento com detalhes de confirmação do voo, o que não está sendo fornecido pelas empresas aéreas devido ao caos que se instalou no país. "Portanto, estamos apenas esperando por isso", contou a cineasta.

A afegã também contou que ninguém estava esperando um avanço tão rápido do Taleban após os Estados Unidos decidirem deixar o país, que estava sob seu controle havia 20 anos. "É um grande choque, não esperávamos que isso acontecesse tão cedo", confessou.

Ela disse que amigos de várias partes do mundo estão tentando ajudá-la. Apesar de ter recebido um convite para sair do país um dia antes da tomada da capital Cabul, ela rejeitou a viagem por não poder levar a família.

"Morando no Afeganistão, seus ouvidos se acostumam a ouvir sobre como o Taleban está a caminho, como o Taleban está nesta parte do país e naquela parte do país", relata. "Então, você realmente não diferencia mais o perigo, porque ouve essas frases o tempo todo."

Além do prêmio que recebeu em 2016, Sadat voltou a Cannes três anos depois com o elogiado "O Orfanato".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos