Cincos filmes para esquentar o Dia do Sexo

Cena do filme Amor, de 2015 (Foto: Reprodução/IMDb)

A posição sexual “69” inspirou o dia Sexo, que é comemorado no Brasil no dia 6 de setembro (6/9). Embora criado como campanha de marketing de uma marca de preservativos, a data “pegou” e vem sendo comemorada desde 2009.

Leia também

No cinema, além dos inúmeros filmes com cenas de sexo simulado, há outros tantos nos quais o sexo entre e atores e atrizes (ou seus respectivos dublês) foi assumidamente real. Não foram considerados filmes pornográficos, mas causaram polêmicas em vários países.

Esquente o dia, a noite e os dias seguintes com filmes picantes

‘Nove Canções’ (2004) tem boa música e sexo em 69 minutos

Kieran O'Brien e Margo Stilley esquentaram as telas em 'Nove Canções' (Foto: Reprodução/IMDb)

O curioso título do filme dirigido por Michael Winterbottom vem do fato de mostrar o protagonista (Kieran O’Brien) assistindo a nove músicas tocadas na Brixton Academy sozinho ou ao lado de seu par romântico (Margo Stilley) intercaladas por cenas tórridas de sexo real, incluindo uma de ejaculação explícita. Tudo em sugestivos 69 (!) minutos.

Sexo oral em ‘Brown Bunny’ (2003)

As cenas do casal são inspiradoras (Foto: Reprodução/IMDb/© 2004 Wellspring Media. All rights reserved.)

As memórias do romance entre o atormentado motociclista Bud Clay (Vincent Gallo) e sua ex-amante Daisy (Chloë Sevigny) durante uma viagem para participar de uma competição na Califórnia culminam com uma cena de sexo oral explícita e sem truques. Gallo, que também dirige o filme causou polêmica no festival de Cannes com esse filme, temperada por uma nada educada discussão com o crítico Roger Ebert.

‘Amor’ (2015) tem cenas não coreografadas

O longa conta com cenas de sexo à três (Foto: Reprodução/IMDb)

Cenas de sexo explícito em 3D? Neste filme de Gaspar Noe (Irreversível) tem até close de ejaculação na câmera, além de muitas cenas de sexo explícito e não-coreografadas entre o aspirante a cineasta Murphy (Karl Glusman) e sua ex-namorada Electra (Aomi Muyock). A história é contada em flashback, uma vez que Electra desapareceu e Murphy está casado e com filho.

‘Ninfomaníaca’ (2013) tem tanto sexo que teve que ser dividido

Joe é apaixonada pelo sexo ( Foto: Reprodução/IMDb)

O polêmico Lars Von Trier tinha tanto sexo para mostrar que precisou dividir em dois filmes a saga da ninfomaníaca Joe (Charlotte Gainsbourg) e suas experiências sexuais desde a perda da virgindade, passando por banheiros de trem e outros lugares. As cenas de sexo foram feitas por dublês de corpo e suas genitais foram sobrepostas digitalmente sobre os atores. A versão do diretor tem nada menos que 5h35min de duração.

Terapeuta de casais que nunca teve orgasmo em ‘Shortbus’ (2006)

'Shortbus' tem cenas de sexo de vários estilos (Foto: Reprodução/IMDb)

O que não poderia faltar em uma história sobre uma terapeuta de casais (Sook-Yin Lee) que nunca teve um orgasmo? Muito sexo, claro. E neste filme dirigido por John Cameron Mitchell, tem sexo entre heteros, entre gays, orgias, tudo mostrado sem truques. Em uma das cenas de orgia, até o diretor e a equipe de filmagem tiraram a roupa para deixar os atores mais à vontade.