Cinco vezes que Lore Improta mandou a real sobre maternidade

·4 min de leitura
Lore compartilhou no Instagram o look para o Carnaval. (Foto: Reprodução/Instagram)
Lore compartilhou no Instagram o look para o Carnaval. (Foto: Reprodução/Instagram)

Quando o assunto é mandar a real sobre maternidade, Lore Improta não tem papas na língua. Ela fala o que toda mãe já quis falar um dia, mas, com a construção de sociedade que temos em torno do assunto, muitas dessas angústias ficam presas.

Ei, está tudo bem sentir-se cansada às vezes, reconhecer as dificuldades desse período, falar em alto e bom som que “não é fácil”, ok?

Mãe da pequena Liz, Lore já havia falado sobre as críticas que está recebendo após decidir voltar ao trabalho. “Eu entendi que quando a gente se torna mãe, a gente não pode se anular enquanto mulher e esposa. Então tento equilibrar a Lore mulher - que trabalha, vai em busca das suas coisas e tem sua independência financeira -, com a Lore casada com o cantor Léo Santana”, disse Lore à “Quem”.

Essa não foi a única vez que Improta saiu em defesa de si mesma (e de todas nós, em algum nível). Confira 5 momentos que a dançarina mandou a real!

  • Medo de não conseguir amamentar a filha

Em outubro de 2021, Lore fez um post super sensível sobre os receios que sentia antes da filha nascer. Entre eles, o medo de não conseguir amamentar Liz, etapa importante e significativa para a saúde da criança. “Por ter feito redução de mama duas vezes, e todos me falarem que era praticamente impossível eu conseguir”, escreveu em sua rede social.

Aqui, ela colocou em discussão a amamentação, processo super romantizado, e que pode ser traumático para muitas pessoas. Sem falar que Lore também jogou para o mundo uma coisa bem comum: É fácil criticar mulheres que são mães, sem ao menos considerar a verdade e seus sentimentos.

  • Dores, muitas dores…

Ainda sobre o tópico de amamentação, Lore Improta falou sobre as dores que sentiu nos primeiros dias de alimentação da filha. Nos stories do Instagram, ela descreveu: "Estou com os peitos lascados de novo. Estão rachados e assados, porque essa menina não sai do meu peito. Mamando demais".

Segundo a empresa Lansinoh Laboratórios, no Brasil, 93% das mães afirmam que se sentiriam culpadas caso não amamentassem. "Culpa" é um sentimento constante e invasivo. Yahoo já falou sobre o assunto.

  • Parto demorado

No seu canal no Youtube, Lore descreveu o parto de Liz. A artista explica que Liz nasceu no dia 26 de setembro, mas era esperada para o dia 4. No início das contrações, ela se sentiu ansiosa para ir ao hospital.

Foram muitas horas desde início das dores de contração, até o parto em si. "Não tinha posição em pé, sentada, deitada. Já estava usando fralda por conta do líquido da bolsa que estava saindo. Entrei no banho, na água quente, porque sabia que poderia aliviar a dor", fala, "eu só pensava: 'Como vou com essa dor?'".

  • Melancolia pós-parto ou blues puerperal

Logo após nascimento da filha, a dançarina passou pelo momento conhecido como “Melancolia pós-parto ou baby blues”. Termo ainda pouco discutido, ele diz respeito ao período de irritação, tristeza, ansiedade, entre outros sentimentos que podem atingir uma pessoa que acaba de parir.

À revista “Quem”, em dezembro do ano passado, ela relatou: “Me questionava ‘cadê aquele amor que todo mundo diz, de amar o filho mais do que tudo?’. O momento de melancolia foi só aquele, de bomba de hormônios e noites sem dormir. Quando passa, meu amor… quando Liz dorme muito, já sinto saudade e quero acordá-la”. Na ocasião, Lore revelou que pensando no próximo filho. “Botei um chip para evitar neste primeiro momento, mas quero ter o segundo daqui cerca de um ano e meio”.

  • Se priorizar é essencial

Lore sempre compartilha os momentos lindos que tem com a filha, esposo e família. Com orgulho e carinho, a artista mostra a fofura de Liz, que está prestes a começar a introdução alimentar.

Ainda assim, ela não deixa de lado o autocuidado e faz questão de reforçar isso junto ao público que lhe acompanha. “Equilíbrio pra mim, é estar em movimento, ao lado da minha família e de quem me faz bem. Mas acima de tudo, é me conectar comigo mesma e encontrar o bem-estar em pequenas ações diárias, e claro, sempre estar em busca do autoconhecimento! “.

Voltar para si pode ser um movimento lento e delicado, mas é necessário para que a mulher recupere sua autoestima, rotina, projetos e vislumbre um futuro feliz. Lore Improta deu o primeiro passo!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos