Cinco astros do MMA que brilharam (ou nem tanto) nos cinemas

Gina Carano ajudou a alavancar o MMA feminino antes do UFC (Dominique Charriau/WireImage)

Os indicados ao Oscar 2020 foram anunciados nesta segunda-feira (13) em uma longa lista de belas obras. O que ainda não aconteceu — e provavelmente nunca acontecerá —, no entanto, é ver um lutador de MMA concorrendo a uma estatueta. Mas isso não significa que atletas nunca tiveram papéis relevantes em longas hollywoodianos.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Muitos lutadores citam influências do cinema como catalisadores para seu interesse nas artes marciais, obras como “O Grande Dragão Branco” (ou qualquer outro longa de Jean Claude Van Damme) e filmes estreladas por Bruce Lee. Nos últimos anos, cinco astros dos ringues conseguiram espaços relevantes em obras que não possuem MMA como temática central — esses, sim, tendem a ser muito ruins.

Leia tudo sobre MMA e lutas no Yahoo Esportes

O máximo de destaque que brasileiros tiveram no cinema nacional foram pontas de Anderson Silva em “Até que a Sorte nos Separe 2” ou outras participações relâmpago, mas o espaço conquistado nos Estados Unidos é um bem maior.

A lutadora que conseguiu maior sucesso nas telas até hoje foi Gina Carano. Estrela do extinto do EliteXC, Carano se aposentou das lutas após ser atropelada por Cris Cyborg em sua primeira e única aparição no Strikeforce, em 2009. Elogiada pela beleza, a morena decidiu apostar na carreira como atriz.

Desencorajada a princípio por fazer parte de filmes de baixo orçamento e qualidade questionável, Carano colheu frutos da perseverança e ganhou papel de destaque na franquia “Velozes e Furiosos”, além de atuar em “Deadpool”. Mais recentemente, a ex-lutadora foi anunciada na série “The Mandalorian”, da saga Star Wars.

Mulher mais popular a pisar no octógono do UFC, Ronda Rousey decidiu surfar a onda da fama e buscar espaço nas telonas. Enquanto ainda dominava o UFC como campeã da categoria até 61kg, Rousey apareceu “Velozes e Furiosos 7” e em “Os Mercenários 3”, além das obras “22 Milhas” e “Entourage”.

Apesar de não atuar tão bem, Rousey conseguiu atrair mais olhares para sua meteórica carreira como lutadora após os trabalhos nas telas.

O único não-americano da lista é Georges St-Pierre, ex-campeão dos meio-médios (77kg) e médios (84kg) do UFC.

Considerado por muitos o melhor lutador de MMA de todos os tempos, GSP não teve tantas participações no cinema, mas atuou em um longa que foi sucesso de bilheteria: “Capitão América 2”, em 2014. Nele, o canadense interpretou Batroc, vilão criado escritor Stan Lee, e contracenou com o astro Chris Evans.

Outro ex-campeão duplo do UFC a pintar na lista é Randy Couture. O veterano, ex-detentor dos cinturões meio-pesado (93kg) e pesado do maior evento de lutas do planeta, foi o vilão em “Escorpião Rei 2” antes de fazer parte da trilogia “Os Mercenários”, atuando por três obras ao lado de uma lista interminável de lendas dos filmes de ação de Sylvester Stallone.

Quinton Jackson sempre foi bastante popular entre os fãs pelo estilo de luta explosivo e a habilidade de auto-promoção fora dos ringues e octógonos.

“Rampage”, que usava grandes correntes no pescoço e uivava após nocautear seus rivais como campeão meio-pesado do UFC, teve seu auge nos cinemas ao interpretar B.A. Baracus no remake de “Esquadrão Classe A”, série de sucesso nos Estados Unidos década de 1980.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter