Cidinho e Doca fazem show pomposo e resgatam história do funk no Rock in Rio

LUCAS BRÊDA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - "Trocar de roupa? Mas já? Posso tocar mais duas antes?", perguntou Cidinho, que faz dupla com Doca, no Espaço Favela. Eles fizeram um show pomposo, com banda, mudança de figurino e um arsenal de funks antigos.

Histórica dupla do funk carioca, Cidinho e Doca cantaram este sábado (5) no Rock in Rio. O show deles rivalizou com o Tropkillaz, no palco eletrônico, e com H.E.R., no palco principal, mas ainda assim reuniu uma plateia bastante numerosa.

A dupla passeou pelas origens do funk do Rio de Janeiro, resgatando clássicos dos anos 1990 e 2000. O público cantou junto com "Rainha do Baile", do próprio duo, e "Rap do Salgueiro", de Claudinho e Buchecha.

Enquanto dançarinos ocupavam todo o palco Favela, Cidinho e Doca emendavam rimas e trechos de funks conhecidos. O formato remete ao início do gênero no Brasil, nos anos 1980, quando os MCs faziam melôs por cima de batidas eletrônicas."Isso é igual à favela, é baile de favela. Então, quem manda é o MC", disse Cidinho, interrompendo o DJ. Logo depois, ele puxou "Festa de Escola".

Houve espaço para um medley de maconha (com "Erva Venenosa", "É Proibido Fumar" e "Cadê o Isqueiro?", entre outras) e até músicas menos conhecidas da dupla, como "Bonde da CDD". A nostalgia bateu forte nas mais emotivas, como "A Distância".Não faltaram os maiores clássicos da dupla, que teve acompanhamento de banda completa, incluindo um sax. "Rap das Armas" e "Rap da Felicidade" foram a cereja do bolo de uma celebração do passado de um gênero tão contemporâneo.

Tropkillaz Ao contrário da última sexta (4), o "dia do metal", as cores tomaram o Rock in Rio. O "dia do pop", com Anitta, Black Eyed Peas e P!nk naturalmente atraiu um público mais jovem, LGBTQ e feminino que a véspera -dominada pelas camisetas pretas com estampas de banda de rock.

Até por isso, o Tropkillaz mostrou um set mais pop do que tem costume. A dupla eletrônica encaixou sucessos de Mariah Carey e Britney Spears em meio às mixagens de funk, hip-hop e trap.

Eles puxaram remixes de Cardi B, Drake e Travis Scott, mas também músicas produzidas pelo próprio Tropkillaz, como "Vai Malandra", de Anitta.

O palco eletrônico, chamado de New Dance Order, fica no fundo do Parque Olímpico, onde acontece o festival. O espaço, ao lado de uma montanha russa, tem luzes estridentes e é rodeado por jardins.

Os DJs Marlboro, Memê e Alesso passam pelo palco eletrônico neste sábado.