Governo de SP diz que não há previsão para 'rios abaixarem de nível'

Chuvas elevaram o nível do Rio Pinheiros. (Foto: Reprodução/Twitter/@ggilgomes)

O Governo do Estado de São Paulo afirmou que não há previsão de quando os rios Tietê e Pinheiros irão abaixar de nível após as fortes chuvas que caem na capital. Em três horas, choveu cerca de metade do volume que estava previsto para todo o mês de fevereiro para a cidade de São Paulo. Há bairros que concentraram mais de 100 milímetros de chuva.

“Tanto o Rio Pinheiros quanto o Rio Tietê serão os últimos a baixar de nível, porque recebem a contribuição de água de outros rios da região. E mesmo quando a chuva para, eles ainda recebem esse volume de água. Durante a madrugada, a chuva cessou e mesmo assim o nível continuou a subir. Por conta disso, não temos perspectiva de quando os rios voltarão ao seu leito normal”, afirmou o secretário Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, representante do governo de João Doria (PSDB).

Leia também

Entre 0h e 6h45 desta segunda-feira (10), a cidade registrou 24 ocorrências para desabamento de imóveis, 245 acionamentos para enchentes e alagamento, e 27 denúncias de queda de árvore.

Um homem de 33 anos foi achado morto no piscinão de São Bernardo do Campo. Segundo o Corpo de Bombeiros, ele estava desaparecido desde a noite de domingo e foi localizado somente nesta manhã.

As marginais do rios Tietê e Pinheiros estão fechadas com vários pontos de alagamento. Na Tietê, o rio transbordou e a pista foi interditada na altura da Ponte da Casa Verde, sentido Cebolão, desde 5h. Há alagamentos também nos dois sentidos da Pinheiros, com fechamento da pista expressa na altura da Ponte Cidade Jardim e veículos parados no meio da água na Zona Sul. Outras avenidas importantes de São Paulo estão interditadas por causa da chuva.

A circulação de trens na Linha 9-Esmeralda da CPTM está interrompida entre as estações Osasco e Santo Amaro por causa de alagamentos. Os ônibus do sistema Paese foram acionados. A Linha 8-Diamante tem interrupções entre as estações Itapevi e Comandante Sampaio.

O rodízio foi suspenso pela Prefeitura de São Paulo, que recomenda que as pessoas não saiam de casa. Até às 7h, eram registrados cerca de 65 quilômetros de engarrafamentos. Na chegada à capital, o trânsito está parado nas rodovias Castello Branco, Dutra e Carvalho Pinto.

Os dois aeroportos, de Congonhas e Guarulhos, operam normalmente apesar das chuvas. Foram 4.090 chamados por conta das chuvas que resultaram em mais de 250 atendimentos, segundo o Corpo de Bombeiros.

“Foi uma chuva excessiva. Em 3 horas, choveu cerca de 50% do esperado para o mês de fevereiro inteiro. (...) Toda a Defesa Civil e equipes do governo do Estado estão mobilizadas em estado de emergência, junto com a Prefeitura de São Paulo. O que pedimos é que as pessoas não saiam de casa, fiquem em casa, não é momento de deslocamento e esperem os rios baixarem”, completou Penido.