Covid-19: Empresário é detido após oferecer "churrasco grátis" para quem matar João Doria em SP

·2 minuto de leitura
Comerciante oferece um ano de churrasco grátis para quem matar governador de São Paulo - Foto: Acervo Pessoal/Reprodução G1
Comerciante oferece um ano de churrasco grátis para quem matar governador de São Paulo - Foto: Acervo Pessoal/Reprodução G1

Um comerciante foi detido em São Paulo depois de anunciar em seu restaurante “um ano de churrasco grátis para quem matar o João Doria Jr". O anúncio constava em uma lousa em frente ao estabelecimento, uma churrascaria no bairro da Vila Mariana, na Zona Sul de São Paulo. Caso aconteceu na última quinta-feira (04). As informações são do G1.

O empresário de 40 anos foi conduzido por policiais ao 96º Distrito Policial (DP), no bairro do Itaim Bibi, onde teve o caso analisado e, de acordo com apuração do G1, foi registrado um termo circunstanciado por incitação ao crime. O homem responderá em liberdade.

Leia também:

"Ele prestou depoimento e se comprometeu a comparecer em juízo. A autoridade policial solicitou perícia para a lousa e encaminhou o caso ao Juizado Especial Criminal (Jecrim)", disse a Secretaria de Segurança Pública em nota divulgada pelo G1.

“Incitação à morte” consta como delito previsto no Código Penal e tem pena de prisão de 3 a 6 meses ou multa.

Doria é criticado por comerciantes

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, virou “inimigo” do setor de bares e restaurantes pela adoção de medidas restritivas para frear o avanço da pandemia do novo coronavírus em São Paulo. No último dia 22, o tucano anunciou o fechamento de todo o comércio aos finais de semana no estado, medida que já foi revista na última quarta-feira (03).

Atualmente, o chamado "Plano São Paulo”, conjunto de medida que regula as medidas de combate à Covid-19, voltou a permitir o funcionamento de restaurantes aos sábados e domingos.

O recuo do tucano veio depois de empresários ligados à Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) realizarem um protesto na Avenida Paulista na última terça-feira (02). A gestão Doria diz ter respaldo de especialistas para ter revogado a restrição.

Apesar da pressão pelo fim das medidas de restrição, a pandemia segue em alta em São Paulo. Até a manhã desta sexta-feira (05), o estado registrava mais de 1,8 milhão de casos e se aproximava dos 54 mil óbitos pela Covid-19.