China promete contra-ataque aos EUA após anúncios de Trump sobre Hong Kong

Manifestante pró-China com boneco do presidente americano Donald Trump diante do consulado dos Estados Unidos em Hong Kong, em 30 de maio de 2020

A China prometeu nesta segunda-feira (1) ao governo dos Estados Unidos uma resposta após os anúncios do presidente Donald Trump, que deseja limitar a entrada de cidadãos chineses em seu país e impor sanções comerciais a Hong Kong.

"Qualquer declaração ou ação que prejudique os interesses da China encontrará um firme contra-ataque", declarou Zhao Lijian, porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores.

Esta é a primeira reação de Pequim às medidas anunciadas na sexta-feira pelo presidente americano. A tensão entre os dois países é grande em consequência da pandemia de COVID-19, da situação dos muçulmanos uigures no noroeste da China e do comércio bilateral.

Em uma declaração com tom firme, Donald Trump anunciou a suspensão da entrada nos Estados Unidos dos cidadãos chineses que representam um "risco" potencial para a segurança do país.

O republicano também pediu a sua administração que retire as medidas comerciais preferenciais para Hong Kong, ao criticar uma polêmica lei sobre segurança nacional imposta por Pequim no território autônomo.