China condena cantor canadense Kris Wu a 13 anos por estupro

Kris Wu no iHeartRadio MuchMusic Video Awards em Toronto

PEQUIM (Reuters) - Um tribunal de Pequim condenou o cantor canadense Kris Wu nesta sexta-feira a 13 anos de prisão após considerá-lo culpado de crimes como estupro, pouco mais de um ano após sua prisão na China, onde nasceu e construiu uma lucrativa carreira.

O tribunal do distrito de Chaoyang informou que a investigação mostrou que, de novembro a dezembro de 2020, o artista de 32 anos, também conhecido como Wu Yifan, estuprou três mulheres.

"Wu Yifan se aproveitou de três mulheres embriagadas... em sua casa", disse o tribunal em sua conta oficial no WeChat.

Ex-integrante do grupo de K-pop EXO, o cantor voltou à China em 2014 para seguir carreira solo.

Wu foi detido em 31 de julho do ano passado depois que uma estudante chinesa de 18 anos o acusou publicamente de induzir ela e outras meninas, algumas delas menores de 18 anos, a fazer sexo com ele.

Na época, a estudante disse à mídia que Wu a atraiu para fazer sexo quando ela tinha 17 anos, depois de oferecer bebida alcoólica.

O tribunal também o considerou culpado do crime de reunir pessoas para se envolver em promiscuidade sexual em julho de 2018.

A embaixada canadense em Pequim não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Reuters, embora a mídia estatal tenha dito que suas autoridades compareceram à audiência.

(Reportagem de Sophie Yu e Martin Pollard)